Mundo

Protestos em Cuba. Repressão de manifestantes preocupa ONU e UE 

Milhares de pessoas manifestaram-se contra o regime. 

O Presidente de Cuba insiste que a culpa da revolta no país é dos Estados Unidos e volta a exigir o levantamento do bloqueio norte-americano.

Dezenas de pessoas foram detidas por envolvimento nos protestos contra o regime no domingo, os maiores dos últimos 30 anos no país.

As detenções começaram logo durante os protestos e, de acordo com os ativistas, continuaram mesmo depois do fim das manifestações.

Os cortes na internet em Cuba dificultam a divulgação de informações, mas os opositores do Governo garantem que a polícia fez buscas nas casas de vários participantes e organizadores das ações que decorreram em Havana e noutras cidades da ilha.

As ruas da capital estão por agora sem manifestações, mas com reforço policial para evitar uma nova revolta.