Mundo

EUA preparam voos para deportar haitianos que atravessaram fronteira

Eric Gay

Milhares de migrantes em condições precárias na fronteira dos EUA com o México

Os EUA estarão a preparar voos de deportação para o Haiti, para desencorajar a chegada em massa de migrantes haitianos, acampados aos milhares no sul do Texas, de acordo com o diário norte-americano Washington Post.

As autoridades norte-americanas estarão a preparar até oito voos diários para o Haiti, para transportar alguns dos 13.000 haitianos que já atravessaram a fronteira com o México, segundo aquele jornal, citado pela Efe.

A administração de Joe Biden, que suspendeu as deportações para o Haiti em julho, devido à crise política provocada pelo assassínio do antigo Presidente haitiano Jovenel Moise, poderá anunciar a nova estratégia já no sábado, de acordo com o Washington Post.

Milhares de migrantes em condições precárias na fronteira dos EUA com o México

Cerca de 13.000 migrantes, na maioria haitianos, estão retidos pelos guardas fronteiriços norte-americanos num acampamento improvisado sob a ponte internacional que liga Del Rio (Texas) a Ciudad Acuña (México), em condições precárias, uma situação que ameaça criar uma nova crise humanitária.

Os migrantes têm atravessado a fronteira para os Estados Unidos desde terça-feira, sobrecarregando os guardas fronteiriços, que criaram o acampamento, enquanto processam pedidos de asilo.

Os guardas fronteiriços asseguraram em comunicado ter aumentado o número de efetivos para enfrentar a situação de forma "segura, humana e ordeira".

Os migrantes foram colocados à sombra da ponte "para prevenir doenças relacionadas com o calor". Água potável, toalhas e instalações sanitárias portáteis foram colocados à sua disposição, explicaram na nota.

Uma vez detidos, "a grande maioria dos adultos que vieram sozinhos e muitas famílias serão mandados para trás, devido a uma regra sanitária" adotada no início da pandemia para reduzir a propagação do vírus, segundo o comunicado.

Um juiz federal ordenou, contudo, na quinta-feira ao Governo para não deportar as famílias neste contexto, o que poderá complicar a tarefa das autoridades, já confrontadas com fluxos migratórios históricos na fronteira com o México.

Mais de 200 mil migrantes chegaram em agosto

Mais de 200.000 migrantes chegaram ali em agosto, segundo os mais recentes dados oficiais, o que eleva para mais de 1,5 milhões o número de chegadas ilegais num ano, o mais alto dos últimos 20 anos.

A oposição republicana acusa há meses o Presidente Joe Biden de ter provocado uma "crise migratória", ao aligeirar as medidas do seu antecessor, Donald Trump, que fez do combate à imigração ilegal o seu cavalo de batalha.

Na quinta-feira, o senador republicano Ted Cruz deslocou-se a Del Rio para denunciar "um desastre causado por Joe Biden".

As autoridades norte-americanas ordenaram o encerramento temporário das pontes fronteiriças em Del Rio, na sexta-feira.

LEIA MAIS: