Mundo

Vulcão de La Palma entra em fase "efusiva"

Miguel Calero

As autoridades esperam que a lava atinja o nível do mar nas próximas horas.

O vulcão de La Palma entrou, esta terça-feira, em fase “efusiva”, libertando um grande fluxo de lava mais fluido e rápido. Esta nova fase da erupção trouxe também explosões do tipo estrombolianas.

A lava é libertada a partir de duas aberturas – o cone principal do vulcão e uma abertura abaixo – e segue o caminho anteriormente aberto pelo magma, em direção ao oceano.

“Tem que continuar a sair lava pela parte superior do vulcão. Cada vez a lava percorre o trajeto com mais facilidade, porque já caminha sobre um vazamento anterior, que neste caso tem um dia. Por dentro pode ter uma temperatura de 1.000 graus, servindo de colchão para continuar”, explica Vicente Soler, vulcanólogo do Instituto de Produtos Naturais e Agrobiologia do Conselho Superiores de Investigações Científicas, ao Las mañanas da RNE.

O aumento da fluidez da lava levou a uma subida da velocidade do magma. As autoridades esperem que a frente chegue ao mar nas próximas horas. Nesta manhã, estava a cerca de 1.000 metros da costa, preparando-se para entrar no município de Tazacorte.

O vulcão de Cumbre Vieja está em atividade desde dia 19 de setembro, tendo emitido uma quantidade de lava superior à da última erupção registada na ilha. Em cerca de duas semanas, foram expelidos 46,3 milhões de metros cúbicos de material magmático, um valor superior ao da erupção do vulcão Teneguía, registada em 1971, que moveu 43 milhões em 24 dias.

► Governo prepara 10 milhões de euros para as Canárias

O Conselho de Ministros espanhol irá aprovar, esta terça-feira, um pacote de ajudas para as Canárias no valor de 5,5 milhões de euros. Este valor deverá ser utilizado para aquisição de 107 vivendas na ilha de La Palma que serão destinada a alojar temporariamente ou de forma permanente as famílias afetadas pela erupção.

O plano conta ainda com cinco milhões de euros para a aquisição de bens de primeira necessidade para as famílias que sofreram danos nas suas habitações ou perderam por completo as suas casas. As medidas foram propostas pelo Ministério dos Direitos Sociais.

► Veja mais: