Mundo

Migrações: ministro alemão diz que "é legítimo" proteger fronteiras com muros

HENNING SCHACHT / POOL

A Polónia solicitou 350 milhões de euros e mobilizou milhares de soldados para a fronteira.

O ministro do Interior alemão, Horst Seehofer, considerou este domingo que "é legítimo" querer proteger as fronteiras, numa altura em que Estados europeus exigem a ajuda da UE para erguer muros que evitem a entrada de migrantes.

A Polónia solicitou 350 milhões de euros e mobilizou milhares de soldados para a fronteira para construir um muro na sua fronteira com a Bielorrússia.

"Parece-nos legítimo proteger a fronteira externa [da União Europeia] a fim de evitar entradas ilegais", disse o ministro do Interior alemão ao jornal Bild, comentando a necessidade de ser construída um muro na Polónia.

Milhares de migrantes, principalmente do Médio Oriente e de África, têm tentado cruzar a fronteira da Bielorrússia para a Polónia, em um movimento de migração que Bruxelas suspeita ser instigada pela Bielorrússia como retaliação a sanções impostas pela União Europeia.

A Lituânia também lançou a construção de uma cerca de arame farpado ao longo da sua fronteira com a Bielorrússia e, em 07 de outubro, ministros do Interior de 12 países (Áustria, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Estónia, Grécia, Hungria, Lituânia, Letónia, Polónia, República Checa e Eslováquia) enviaram uma carta conjunta à Comissão Europeia a pedir para a UE financiar essas construções.

União Europeia não vai financiar "arame farpado ou muros" nas fronteiras

Na sexta-feira, a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, respondeu que a União Europeia não financiaria "arame farpado ou muros" nas fronteiras.

Seehofer também alertou este domingo que o controlo na fronteira com a Polónia será reforçado, tendo sido já destacados cerca de 800 agentes das forças policiais para o fazer.

E, "se for necessário, estou pronto para fortalecer [o controlo fronteiriço] ainda mais", garantiu.

Segundo dados do Ministério do Interior alemão, cerca de 5.700 pessoas cruzaram ilegalmente a fronteira entre a Polónia e a Alemanha desde o início do ano.

No sábado, um alegado contrabandista de pessoas foi detido depois de terem sido encontrados 31 imigrantes ilegais do Iraque numa carrinha perto da fronteira polaca.

Seehofer, que descartou a possibilidade de a fronteira com a Polónia ser encerrada, escreveu, na semana passada, ao seu homólogo polaco, Mariusz Kaminski, propondo um aumento das patrulhas conjuntas ao longo da fronteira face ao crescente número de migrantes, sugestão que o ministro polaco disse "apoiar completamente".

VEJA TAMBÉM: