Mundo

Tiro de míssil antissatélite da Rússia pôs em perigo astronautas na Estação Espacial

Os sete elementos da tripulação atual da Estação Espacial - a recém-chegada Crew-3 e os elementoa da Expedition 66 - quatro astronautas americanos, um alemão e dois cosmonautas russos, a 11 de novembro de 2021.

NASA

Os astronautas refugiaram-se nas naves espaciais atracadas à Estação, preparando-se para uma eventual evacuação de emergência.

Os Estados Unidos acusam a Rússia de disparar um míssil antissatélite "perigoso e irresponsável" numa demonstração de força que ameaçou diretamente a segurança dos astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS). A agência espacial russa garante que "a segurança da tripulação" da ISS é a sua "principal prioridade".

Este incidente vem reavivar os receios de que o espaço se transforme num campo de batalha entre as grandes potênciasalém de aumentar perigosamente o lixo espacial.

Na segunda-feira, "a Rússia conduziu de forma irresponsável um destrutivo teste de míssil antissatélite de ascensão direta contra um de seus próprios satélites", disse o secretário de Estado norte-americano Antony Blinken, em comunicado.

"Este teste gerou até agora mais de 1.500 fragmentos orbitais ​​e provavelmente vai gerar centenas de milhares de fragmentos mais pequenos", acrescentou.

O administrador da NASA, Bill Nelson, também emitiu um comunicado condenando o disparo russo.

Astronautas refugiaram-se nas naves espaciais

Os sete elementos da tripulação atual da Estação Espacial - quatro astronautas americanos, um alemão e dois cosmonautas russos - refugiram-se nas naves espaciais que estão atracadas à Estação, como precaução e para permitir uma eventual fuga de emergência, disse a NASA.

"Estou escandalizado com esta ação irresponsável e destabilizadora", disse o diretor da NASA. "É impensável que a Rússia coloque em risco não apenas os astronautas americanos e os parceiros internacionais da ISS, mas também os seus próprios cosmonautas."

Lixo espacial, uma ameaça para as próximas décadas

"Os destroços criados por este teste perigoso e irresponsável vão ameaçar durante décadas os satélites e outros objetos espaciais vitais para a segurança, economia e interesses científicos de outras nações", acusou Blinken.

O responsável prometeu que os Estados Unidos vão "trabalhar com os aliados e parceiros para responder a este ato irresponsável"

Agência espacial russa garante que segurança da ISS é a sua prioridade

A agência espacial russa Roscosmos garantiu esta terça-feira que "a segurança da tripulação" da Estação Espacial Internacional é a sua "principal prioridade".

"Só os esforços conjuntos de todas as potências espaciais podem assegurar uma coexistência tão segura quanto possível bem como operações no domínio espacial", disse Roscosmos em comunicado.

A agência russa não respondeu diretamente às acusações dos EUA sobre o incidente com o míssil.

SAIBA MAIS