Mundo

O novo iPhone14 e a multa de 2,5 milhões que Apple foi condenada a pagar

Loading...

O Brasil condenou a empresa norte-americana a pagar uma multa por vender smartphones sem carregador.

Foi apresentado, esta quarta-feira, o iPhone14. A grande novidade é que os novos smartphones têm a possibilidade de se ligar a satélites para fazer comunicações de emergência. Uma funcionalidade que, para já, só vai estar disponível nos Estados Unidos e Canadá.

A apresentação foi levada a cabo por Tim Cook, CEO da empresa. Depois de dois anos de vendas abaixo do esperado, a Apple acabou com a versão Mini e aposta no formato XL, com o iPhone 14 Plus, de 6,7 polegadas e o tamanho standard de 6,1 polegadas.

Quanto ao processador, este smartphone vem equipado com o chip A15 da geração anterior e não apresenta alterações de design.

Haverá "autofocus" pela primeira vez numa câmara frontal da Apple e tem um sistema de deteção de acidentes com a capacidade de se ligar a satélites para comunicações de emergência. O serviço vai estar disponível nos EUA e no Canadá em novembro e será grátis durante dois anos.

A estrela da companhia, é o iPhone 14 Pro que vem com um novo processador (o A16), uma nova cor e um ecrã "always on display" – com a promessa de eficiência de energia.

Em Portugal os preços começam nos 1039 euros.

Brasil condena Apple a multa de 2,5 milhões de euros

No Brasil, as vendas estão suspensas e a Apple foi condenada a pagar uma multa por vender smartphones sem carregador. São objetos que não funcionam um sem o outro, mas nos modelos de iPhone12 e 13 são vendidos em separado. A Apple desfez o casamento e recomendou aos clientes que usassem os carregadores antigos, alegando razões ambientais.

Mas o Governo brasileiro entende que a decisão é discriminatória e proibiu as vendas de iPhone sem o carregador incluído. A gigante norte americana foi ainda multada em quase 2,5 milhões de euros, por danos aos consumidores. Já anunciou que vai recorrer da decisão.

Últimas Notícias