Mundo

Cometa a desintegrar-se vence prémio de melhor fotografia de astronomia

Cometa a desintegrar-se vence prémio de melhor fotografia de astronomia
"Disconnection Event" by Gerald Rhemann
Entre as mais de 3 mil fotografias a concurso e os vários prémios, foi também concedido o de Jovem Fotógrafo de Astronomia do Ano a dois rapazes de 14 anos.

Uma rara fotografia de um cometa que nunca mais será visto da Terra ganhou um dos mais prestigiados prémios de fotografia de astronomia.

A imagem mostra a cauda do cometa Leonard a partir-se e a ser levada pelo vento solar. O cometa fez uma breve aparição na Terra em 2021, mas já deixou o nosso Sistema Solar. A fotografia foi tirada no dia de Natal de 2021 pelo fotógrafo austríaco Gerald Rhemann num observatório na Namíbia

O Observatório Real de Greenwich, em Londres, que realiza a competição de Fotografia de Astronomia do Ano, definiu a imagem como "surpreendente".

"Os cometas são diferentes a cada hora que passa - são coisas sempre surpreendentes", disse o fotógrafo à BBC explicando que não tinha qualquer ideia de que iria testemunhar a separação da cauda do cometa a deixar um rasto de poeira cintilante.

"Fiquei absolutamente feliz por tirar a foto - é o ponto alto da minha carreira de fotógrafo", garantiu.

Entre as mais de 3 mil fotografias a concurso e os vários prémios, foi também concedido o de Jovem Fotógrafo de Astronomia do Ano a dois rapazes de 14 anos de Sichuan, China.

Galáxia Andromeda / Yang and Zhou

Para a sua imagem vencedora, Yang Hanwen e Zhou Zezhen, ambos com 14 anos, trabalharam juntos para fotografar a Galáxia de Andrómeda, uma das vizinhas mais próximas e maiores da Via Láctea com cores impressionantes

"Acho que esta foto mostra como é linda a nossa vizinha", disse Yang Hanwen.

A categoria Jovem Fotógrafo Astronômico do Ano é para menores de 16 anos.

As imagens em competição estão em exposição no National Maritime Museum, em Londres.

Últimas Notícias
Mais Vistos