Mundo

As primeiras imagens do momento da colisão da sonda da NASA com um asteroide

Didymos e Dimorphos pouco depois do impacto da sonda DART captados pelo LICIACube a 26 de setembro de 2022.
Didymos e Dimorphos pouco depois do impacto da sonda DART captados pelo LICIACube a 26 de setembro de 2022.
NASA/ASI

Telescópios na Terra e no espaço registam o "fogo de artifício” provocado pela sonda DART.

Telescópios no espaço e em toda a Terra registaram as espetaculares consequências da colisão da nave espacial DART da NASA com o asteroide Dimorphos em 26 de setembro. A colisão foi “a primeira experiência humana para desviar um corpo celeste”, diz Thomas Zurbuchen, administrador associado da NASA , e “um enorme sucesso” para a ciência.

A sonda Double Asteroid Redirection Test (DART) da NASA colidiu com o asteroide Dimorphos, a cerca de 22 mil quilómetros/hora, à hora prevista - 23h14 GMT de dia 26 de setembro, eram já em Lisboa 00h14 do dia 27 de setembro.

Nesse dia, a agência espacial italiana divulgou as primeiras imagens captadas pela sonda Light Italian Cubesat for Imaging of Asteroids (LICIACube), que chegaram à Terra cerca de três horas depois da colisão que aconteceu a cerca de 11 milhões de quilómetros da Terra. A pequena nave italiana fez a viagem ao lado de DART e teve por isso uma visão privilegiada do “espetáculo”.

Os últimos minutos antes do impacto

À medida que a DART passava por Didymos e se aproximava de Dimorphos foi captando imagens. Estes são os últimos cinco minutos antes da colisão, mostrados em sequência rápida.

Crédito: NASA/Johns Hopkins APL

Loading...

O impacto visto a partir da Terra

O observatório ATLAS, que está no Havai, registou a colisão do DART com Dimorphos.

Crédito: Projeto ATLAS, Universidade do Havai

Defender o planeta

Esta é a primeira missão de defesa planetária da Terra, uma parceria entre a NASA e a ESA.

Em outubro de 2024, a Agência Espacial Europeia (ESA) deverá lançar a missão espacial Hera, que levará uma sonda europeia a viajar até Didymos, onde deverá chegar no final de 2026.

Hera vai fazer o estudo detalhado sobre o pós-impacto da sonda norte-americana DART em Dimorphos.

Últimas Notícias
Mais Vistos