Mundo

"Não renunciaremos nunca ao uso da força": líder chinês aponta à reunificação de Taiwan

Loading...

No arranque do Congresso do Partido Comunista chinês, Xi Jinping reiterou que quer uma reunificação pacífica, mas assegura que não abdica de “adotar todas as medidas necessárias”.

O líder chinês, Xi Jinping, disse este domingo que a China vai fazer todos os esforços para reunificar Taiwan pacificamente, mas que "nunca renunciará ao uso da força", na abertura do 20º Congresso do Partido Comunista (PCC).

"Trabalharemos com a maior sinceridade e faremos todos os esforços em prol da reunificação pacífica [de Taiwan], mas não renunciaremos nunca ao uso da força e reservamos a possibilidade de adotar todas as medidas necessárias", afirmou.

China e Taiwan vivem como dois territórios autónomos desde 1949, ocasião em que o antigo Governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente aos comunistas.

Taiwan atua como uma entidade política soberana, mas Pequim insiste que o território é uma província sua. Os Estados Unidos continuam a ser o maior aliado e fornecedor de armas de Taipé.

"A resolução da questão de Taiwan é um assunto do povo chinês e deve ser resolvido apenas pelo povo chinês", apontou Xi Jinping.

"A reunificação da pátria deve ser alcançada e vai ser alcançada", acrescentou, condenando o "separatismo e a interferência estrangeira" na questão de Taiwan.

Xi Jinping também elogiou a transição de Hong Kong "do caos para a governação". O seu governo impôs, em 2020, uma lei de segurança nacional à cidade que praticamente eliminou a oposição e os ativistas pró-democracia na região semiautónoma da China.

O 20.º Congresso do Partido Comunista Chinês arrancou hoje e vai durar uma semana, devendo pôr termo a duas décadas de sucessão política ordenada, ao cimentar o estatuto do atual secretário-geral, Xi Jinping.

O mais importante evento da agenda política da China, que se realiza a cada cinco anos e reúne, em Pequim, mais de 2.000 delegados de todo o país, vai apresentar também, no último dia, a nova formação do Comité Permanente do Politburo do PCC, que é composto por sete membros, entre os quais o líder, Xi Jinping.

Mark Schiefelbein

A RESPOSTA DE TAIWAN

Taiwan garantiu que não vai ceder soberania, na primeira reação às declarações do Presidente da China.

Em comunicado, a Presidência diz que transformar a região num campo de batalha não é opção e garante que recusa comprometer a liberdade de um povo que se opõe às ideias de Pequim.

Últimas Notícias
Mais Vistos