Mundo

Dois palestinianos mortos por militares israelitas no norte da Cisjordânia

Dois palestinianos mortos por militares israelitas no norte da Cisjordânia
ATEF SAFADI

Incursões do Exército israelita no campo de refugiados de Jenin já fizeram um total de 17 este ano.

Dois palestinianos foram mortos hoje durante uma incursão do Exército israelita no campo de refugiados de Jenin, no norte da Cisjordânia ocupada, elevando para 17 o número de mortos em incidentes violentos com Israel neste ano.

O Ministério da Saúde palestiniano esclareceu que Bassem Jabareen - de 28 anos e alegadamente membro da Jihad Islâmica, de acordo com os meios de comunicação israelitas e palestinianos - morreu devido a tiros recebidos no abdómen, enquanto Farid Bawaqna, de 38 anos, foi atingido por um tiro no peito.

O Exército israelita confirmou a operação no campo de Jenin, que visava deter um "suspeito de envolvimento em atividades terroristas" e apreendeu "uma espingarda M16, peças de espingarda, equipamento militar, material explosivo e munições".

"Os palestinianos armados dispararam intensamente contra as forças de segurança, que responderam com tiros reais (...). Também foram lançados engenhos explosivos contra as forças", afirmou um porta-voz militar israelita, confirmando que pessoas foram atingidas por disparos.

O porta-voz declarou que um soldado ficou ferido e foi levado para o hospital.

Palestinianos acusam israelitas de prestar socorro a feridos

Segundo a agência oficial palestiniana Wafa, "as forças de ocupação dispararam contra o professor Bawaqna enquanto este tentava prestar os primeiros socorros ao jovem Jabareen, ferido em frente à sua casa no centro do campo de Jenin".

A agência de notícias também informou que o Exército israelita impediu que equipas de ambulâncias entrassem no campo para levar os feridos ao hospital, que tiveram que ser levados em veículos particulares.

Fontes palestinianas declararam que durante os confrontos, as tropas israelitas dispararam munições reais, gás lacrimogéneo e bombas de gás, ferindo outras três pessoas.

Durante a operação, Israel prendeu Ahmad Zaghal, Khanfar Abu Sharif e os irmãos Aws e Hani Abu Zina, filhos de Khaled Abu Zina, que era o alvo da operação, mas não estava em casa, segundo os meios de comunicação palestinianos

As tropas israelitas realizaram incursões em vários pontos da Cisjordânia no início da manhã de hoje, nas quais foram detidos outros nove palestinianos.

Desde o ano passado, o mais violento desde 2006 e que contabilizou 170 palestinianos mortos, Jenin é uma das principais fontes de violência na Cisjordânia ocupada e abriga um grande movimento de milícias ligadas a várias fações, incluindo o Hamas e a Jihad Islâmica.

Últimas Notícias
Mais Vistos