País

Santana Lopes poderá ter traumatismo torácico e Paulo Sande um traumatismo craniano

RUI MIGUEL PEDROSA

Só depois dos exames se poderão confirmar as suspeitas da equipa médica no local do acidente, na A1.

O presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, poderá ter sofrido um traumatismo torácico e o candidato às europeias, Paulo Sande, um traumatismo craniano, segundo os médicos do INEM que hoje os assistiram no local do acidente rodoviário.

Fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) adiantou à agência Lusa que os dois políticos foram transportados para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) para serem examinados, porque o INEM no local não dispõe de meios complementares de diagnóstico.

Só depois dos exames se poderão confirmar as suspeitas da equipa médica no local do acidente, na A1, sentido Coimbra-Lisboa, de um eventual traumatismo torácico em Pedro Santana Lopes e um traumatismo craniano de lista do partido às eleições europeias, Paulo Sande.

Segundo a fonte, Santana Lopes foi transportado de helicóptero para os HUC e Paulo Sande seguiu de ambulância acompanhado por uma equipa médica do Hospital dos Covões.

Questionada sobre o motivo da deslocação de um helicóptero para o acidente, a fonte do INEM disse tratar-se de "uma situação normalíssima e habitual", já que o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu um alerta para um "acidente grave, com capotamento, e dois feridos encarcerados".

A mesma fonte disse que foi acionado de imediato o 'heli' de Santa Comba Dão, uma viatura médica de emergência e reanimação do Hospital dos Covões e duas ambulâncias dos bombeiros voluntários de Pombal e de Soure.

De acordo com a fonte do INEM, após o desencarceramento e primeira análise às vítimas, a equipa médica no local (que chega normalmente antes do meio de transporte aéreo) decidiu manter a assistência do helicóptero.

A agência Lusa conseguiu falar telefonicamente com Paulo Sande, antes de este ser transportado para o hospital, que relatou que Santana Lopes iria seguir de helicóptero e que lhe tinha sido colocado um colar cervical por se queixar de "dores no peito" e ter ligeiros ferimentos na cabeça.

A fonte do INEM disse à Lusa que os dois feridos estavam "estáveis e conscientes".

Paulo Sande explicou ainda que regressava com Santana Lopes de uma iniciativa de campanha em Coimbra e que o líder do partido guiava o carro quando se despistaram e a viatura capotou "várias vezes".

O acidente ocorreu pouco antes das 17:30 e a A1 esteve cortada ao trânsito nos dois sentidos entre as 18:30 e as 19:27 para o helicóptero aterrar e levantar.

Lusa

  • Palestinianos boicotam cimeira organizada pelos EUA no Bahrein
    2:50
  • André Rieu fez um vídeo para os fãs portugueses
    0:38