País

18 câmaras municipais alvo de buscas da PJ por suspeitas de corrupção

Câmara de Barcelos

Google Maps

Na operação "Rota Final" realizaram-se 50 buscas relacionadas com "esquema fraudulento" de contratação pública.

A Polícia Judiciária do Porto realizou buscas em 18 autarquias e empresas de transporte público, num total de 50 buscas, domiciliárias e não domiciliárias, por suspeitas de "práticas de corrupção, tráfico de influências, participação económica em negócio, prevaricação e abuso de poder", revela a PJ em comunicado.

Em causa estão contratos de prestação de serviços de transportes que não terão obedecido às regras de contratação pública e da concorrência "através de um esquema fraudulento da viciação de procedimentos de contratação pública".

Segundo a nota da PJ, as autarquias são: Águeda, Almeida, Armamar, Belmonte, Barcelos, Braga, Cinfães, Fundão, Guarda, Lamego, Moimenta da Beira, Oleiros, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Sertã, Soure, Pinhel e Tarouca.

Operadora de Transportes Transdev visada na operação

A operadora de transportes públicos Transdev é uma das visadas nas buscas realizadas hoje pela PJ para recolha de documentação "e outros elementos de prova", afirmou fonte policial à agência Lusa, afirmando que, até ao final da manhã, não existia "nenhum detido".

A Transdev tem uma frota com mais de 1.500 viaturas e opera principalmente no Norte e Centro do país.

De acordo com dados oficiais disponíveis no portal base.gov, desde o início de 2018, a Transdev acumulou mais de dois milhões de euros em 38 contratos por ajuste direto com municípios do Norte e Centro do país.

No último ano, de acordo com o base.gov, o município da Guarda realizou contratos por ajuste direto com a Transdev de quase meio milhão de euros e Lamego de quase 100 mil euros.

Além do transporte escolar e de em alguns municípios assegurar os transportes públicos urbanos, a Transdev, que tem cerca de 1.900 colaboradores, detém 11 empresas e participações na Internorte, Intercentro, Rede Nacional de Expressos, Renex e Rodoviária do Tejo, segundo informação disponível no seu site.

A Polícia Judiciária tem em curso uma operação em 18 câmaras municipais do Norte e Centro do país, relacionadas com um alegado esquema fraudulento de viciação de procedimentos de contratação pública. Na Câmara Municipal de Barcelos, as buscas ainda decorriam antes das 12h30, como conta a repórter Márcia Torres, em direto do local.

"No cerne deste alegado esquema fraudulento estarão empresas de transporte"

Câmara de Belmonte diz que PJ solicitou informação variada

A Câmara de Belmonte confirmou hoje a presença de uma equipa da Polícia Judiciária (PJ) no município no seguimento de uma operação "mais vasta" que envolve várias autarquias do país.

Em comunicado enviado à agência Lusa, este município do distrito de Castelo Branco confirma que recebeu hoje de manhã, pelas 09:00, uma equipa da PJ, que "solicitou documentação variada, tendo recebido toda a colaboração do presidente da Câmara e funcionários da autarquia".

Segundo o município, liderado por um independente eleito pelo PS, esta ação decorreu no seguimento de uma operação "mais vasta", que envolveu várias autarquias do país, sem que o texto especifique o tipo de investigações desenvolvidas pela PJ.

"A reunião decorreu dentro da normalidade e a equipa da PJ já abandonou Belmonte", lê-se no documento.

PJ da Guarda cumpriu dezenas de mandados de busca

A Polícia Judiciária cumpriu dezenas de mandados de busca autorizados pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra, que concentrou toda a investigação. Mais de 200 inspetores entraram nas autarquias e na residência de alguns autarcas e ex-autarcas

São os casos de Álvaro Amaro, que dirigiu a Câmara da Guarda desde 2013, e do antigo presidente da Câmara de Lamego, apontado como elo de ligação entre os municípios e a transportadora Transdev, igualmente à cabeça das suspeitas.

  • Saiba quais são os medicamentos que contêm ranitidina
    0:53