País

PSD disponível para conversar com PS sobre Lei de Bases da Saúde se o seu projeto for a base

Partido desafia os socialistas a apresentarem propostas de alteração ao texto dos sociais-democratas.

"Colocando o país à frente de todos os interesses, e apesar deste percurso em que o PS afastou o PSD do processo, estamos disponíveis para essa conversa. Mas é necessário que o PS venha ter com o PSD e apresente as suas propostas de alteração", afirmou à Lusa o deputado Ricardo Baptista Leite, que coordena na bancada as questões de saúde e integrou o grupo de trabalho sobre a Lei de Bases.

Questionado se tem de ser o texto do PSD a base de trabalho com o PS, o deputado respondeu afirmativamente, apontando que tem sido essa a posição do PSD desde o início do processo.

"Apesar de terem votado sistematicamente contra tudo o que está no nosso projeto, o PS, se objetivamente tem interesse em dialogar, está nas mãos do PS pegar no projeto social-democrata e dizer o que o PS entende propor de alterações ao projeto do PSD", defendeu.

Quanto ao que resultou do grupo de trabalho -- que terminou terça-feira as votações indiciárias -, Baptista Leite disse que o partido irá aguardar pela redação final, mas faz desde já uma apreciação negativa.

"Neste momento, olhando para o cômputo geral, não nos identificamos com o texto em cima da mesa", afirmou, considerando que o resultado seria "uma lei omissa, mais fraca e pior que a lei vigente", em vigor desde os anos 90 e que foi elaborada durante um Governo PSD de Cavaco Silva.

A Rádio Renascença noticia hoje que os socialistas estão a tentar negociar com o PSD aprovação final global da Lei de Bases da Saúde, o que poderia passar pela aceitação de algumas propostas sociais-democratas.

Questionado sobre essas conversações, Baptista Leite refere apenas que, "até ao momento", o PSD "não recebeu nenhuma proposta de alteração ao seu projeto, nem nenhuma intenção do PS de abordar o projeto social-democrata".

Lusa