País

Canadair caiu em local de difícil acesso. Autarca pediu mais meios aéreos

Declarações do Presidente da Câmara de Ponte da Barca.

O presidente da Câmara de Ponte da Barca disse que o avião Canadair caiu numa zona de difícil acesso, muito perto da fronteira com Espanha.

O autarca pediu ainda ao ministro da Administração Interna o reforço de meios aéreos no combate ao incêndio que lavra em Lindoso, para impedir que as chamas atinjam a mata protegida de Cabriz.

Augusto Marinho falava à agência Lusa, junto ao posto de comando instalado na freguesia de Lindoso, logo após ter contactado Eduardo Cabrita para o alertar para a necessidade de travar o incêndio antes de chegar ao rio de Cabriz.

Segundo o autarca social-democrata, se o fogo ultrapassar o rio Cabriz, o incêndio ganhará envergadura e serão precisos vários dias para o apagar.

O presidente daquela Câmara do distrito de Viana do Castelo sublinhou que a intervenção de meios aéreos é fundamental numa zona de difíceis acessos como aquela.Um incêndio está a lavrar em Lindoso, no Parque Nacional da Peneda-Gerês, desde as 05:19.

Queda de Canadair

O combate ao incêndio já foi marcado pela queda de um avião 'Canadair' e pela morte de um dos dois pilotos que seguia a bordo, estando o segundo piloto "em estado grave", segundo fonte da Proteção Civil.

O piloto, de nacionalidade portuguesa, de 65 anos, morreu no local, apesar das tentativas realizadas pelos elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), enquanto o segundo piloto, de nacionalidade espanhola e de 39 anos, foi assistido no local e transportado em "estado grave" para o Hospital de Viana do Castelo.

De acordo com a página de internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, pelas 14:25 estavam a combater as chamas 132 operacionais, apoiados por 34 veículos e 11 meios aéreos portugueses e espanhóis.