País

André Ventura: "Tivemos um dia difícil em Évora"

A lista de André Ventura para a direção nacional do Chega! foi aprovada, depois de ser chumbada duas vezes.

Lista de André Ventura para a direção nacional do partido aprovada apenas à terceira

O presidente do Chega, André Ventura, conseguiu , à terceira tentativa, a maioria de dois terços dos votos exigida para eleger a sua direção na II Convenção Nacional, em Évora.

Apenas às 20:02 de domingo foram proclamados os resultados de 247 votos favoráveis e 26 contra, num universo de 273 votantes, mais de cinco horas depois do horário previsto se tudo tivesse decorrido como previsto pela organização.

Antes disso, no último dia da convenção nacional do Chega, em Évora, André Ventura viu duas vezes chumbada a lista que apresentou, para a direção nacional do partido.

Ao final da tarde, numa intervenção que quase parecia de despedida. Ventura anunciou afinal que iria submeter uma terceira lista a votação.

E só à terceira foi de vez. O jornalista da SIC, Afonso Guedes, conta como foi o momento.

Ventura: "Se ficar atrás de Ana Gomes e Marisa Matias nem merecia estar na televisão"

O líder do Chega! afirmou que coloca o lugar de Presidente à disposição se a candidata Ana Gomes ficar à frente nas Eleições Presidenciais: "Significa que eu não fiz o meu trabalho verdadeiramente".

"Sei que muitas pessoas de classe média são incapazes de votar em Marcelo Rebelo de Sousa. À direita só há mais um candidato com potencial do ponto de vista eleitoral, que sou eu. Quando é assim, eu não tenho desculpa para que a Ana Gomes, sem o apoio formal do PS, fique à minha frente. A Ana Gomes tem de partilhar o palco com Marisa Matias e com João Ferreira", explicou em entrevista à SIC Notícias.

Perante a hipótese de ficar atrás de Ana Gomes e de Marisa Matias, André Ventura diz que se isso acontecesse é porque é um candidato irrelevante

Ventura diz que um dos objetivos do Chega é o segundo lugar nas presidenciais