País

PSD propõe o adiamento das eleições autárquicas por dois meses

Maioria dos partidos entende que essa discussão é prematura.

O líder do PSD considerou que o regime excecional e temporário que o partido vai propor para as autárquicas é uma proposta "sensata" e que "defende a democracia" num contexto de pandemia de covid-19.

O Governo já afirmou por várias vezes que quer atingir a imunidade de grupo o fim do verão, quando tiver 70% da população vacinada. Rui Rio teme que a imunidade de grupo possa não ser atingida nessa altura e por isso sugere que seja tomada uma decisão em relação às autárquicas. Mas mesmo que tudo corra como previsto entende que sobraria muito pouco tempo para uma campanha eleitoral com o mínimo de normalidade.

O PS rejeita a ideia e acusa Rui Rio de estar mais preocupado com questões internas do que com a regularidade do ato eleitoral.

Jerónimo de Sousa diz que é prematuro discutir o adiamento das autárquicas. O CDS também entende que é uma discussão que só deve ser feita mais tarde. Já Bloco de Esquerda vai pensar sobre o assunto.

Para o PAN também é prematuro discutir um adiamento, mas entre outras alterações à lei eleitoral, o partido propõe que a ida às urnas, nas autárquicas, se faça em dois dias.

O Chega não se opõe ao adiamento das eleições autárquicas, mas André Ventura questiona, no entanto, a data sugerida.