País

"Vou procurar abrigo noutro local"

O testemunho de uma imigrante à SIC.

A SIC falou com uma das imigrantes que foi realojada no complexo Zmar.

Em Portugal há três anos, diz que não entende o que se está a passar, mas pede para voltar ao sítio onde morava.

Os imigrantes querem sair do Zmar, dizem que precisam de trabalhar e quem não tem trabalho, precisa de o encontrar. Temem não conseguir fazê-lo estando longe das localidades mais centrais.

O Supremo Tribunal Administrativo deu razão à defesa dos proprietários do Zmar e suspendeu a requisição civil decretada pelo Governo para o alojamento turístico, em Odemira.

Em causa está a providência cautelar interposta em tribunal pelo advogado dos proprietários contra a requisição temporária do complexo pelo Governo, para alojar os imigrantes.

Na quinta-feira de madrugada, 21 pessoas foram transportadas para o empreendimento Zmar e 28 para a pousada de juventude. Em causa, segundo o município, está o processo de realojamento de pessoas que não estão obrigadas a um confinamento profilático, no contexto da pandemia de covid-19, nomeadamente dos trabalhadores de explorações agrícolas que vivem em situação de insalubridade.