País

Luís Filipe Vieira: Rei dos frangos "fez um ótimo negócio" ao recomprar dívida

ANTÓNIO COTRIM

Deputados ouvem Vieira enquanto administrador da Promovalor, um dos grandes devedores do Novo Banco.

O presidente da Promovalor, Luís Filipe Vieira, considerou que José António dos Santos, empresário conhecido como 'rei dos frangos', "fez um ótimo negócio" recomprando dívida ao fundo Davidson Kempner que lhe tinha pertencido, por um preço mais alto.

Questionado pela deputada Mariana Mortágua (BE) acerca de um fundo que tinha recomprado a dívida da Imosteps, garantida pelas empresas de Luís Filipe Vieira, o também presidente do Benfica disse que a pessoa que financiou a operação foi o empresário José António dos Santos, acionista da Valouro.

Luís Filipe Vieira esteve esta segunda-feira a ser ouvido como grande devedor numa audição no parlamento, no âmbito da Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução.

A deputada bloquista referiu que José António dos Santos é acionista da SAD do Benfica e parceiro de Luís Filipe Vieira em outros negócios, tendo o depoente concordado e acrescentado que um desses projetos é uma "urbanização em Lisboa".

"Ele pagou. Acho que fez um ótimo negócio", disse o presidente da Promovalor, quando a deputada Mariana Mortágua perguntou "porque é que milagrosamente está disponível a oferecer por aquela dívida aquilo que nenhum outro sócio estava disposto".

"A dívida que o Novo Banco vendeu por quatro milhões é comprada ao Nata II [nome da carteira de crédito comprada pelo fundo Davidson Kempner] pelo seu sócio por oito milhões", disse a deputada do BE.

Luís Filipe Vieira revelou que o fundo Davidson Kempner o contactou e disse "por quanto é que vendia aquilo", mas as suas empresas não tinham dinheiro mas iam "arranjar comprador".

"O comprador foi precisamente esta pessoa [José António dos Santos], através de um fundo que constituiu, e o resto não sei mais", referiu.

Mariana Mortágua concluiu dizendo que um sócio de Vieira "comprou de volta a sua dívida ao Nata II por um valor superior ao qual o Nata II tinha comprado".

Novo Banco. Vieira nega ter apenas uma casa para palheiro

Na comissão parlamentar de inquérito, o também presidente do Benfica não quis revelar o património pessoal, mas negou ter apenas uma casa para palheiro.

De acordo com dois relatórios de auditoria da PwC e da EY posteriores à resolução do BES que analisaram as exposições a grandes devedores, a Promovalor devia 304 e 487 milhões de euros, respetivamente, sendo a diferença atribuível ao perímetro de análise dos grupos.

No âmbito da comissão de inquérito, e relacionado com a dívida da Promovalor ao Novo Banco, já foi ouvido Nuno Gaioso Ribeiro, gestor da C2 Capital Partners, empresa que comprou créditos em dívida da empresa de Vieira ao Novo Banco.

Para a gestão da dívida da empresa do presidente do Benfica foi constituído um fundo denominado Fundo de Investimento Alternativo Especializado em novembro de 2017, tendo sido "adquiridos ao Novo Banco 133,9 milhões de euros de créditos" e também "reestruturados pelo Novo Banco (isto é, mantiveram-se no balanço do banco) financiamentos existentes de 85,8 milhões de euros, perfazendo a operação o montante total de 219,7 milhões de euros", segundo o gestor.

  • 1:21