País

Final da Champions. Corpo de Intervenção da PSP tinha ordens para não intervir

Luis Vieira

Fonte garante que só atuaram quando alguém corria perigo de vida.

Os agentes do Corpo de Intervenção da PSP tiveram ordens superiores para não intervir no Porto junto dos adeptos ingleses.

A notícia é avançada pelo jornal Inevitável, que cita um dos elementos desta força de segurança.

A mesma fonte garante que só atuaram quando alguém corria perigo de vida e revela que houve ordens superiores para que se deixasse os adeptos ingleses "aproveitar, beber e contribuir para a economia portuguesa".

Adianta ainda que houve uma organização deficiente, ao nível da Unidade Especial da Polícia, que só foi chamada no dia da competição, ou seja, no sábado, e foi chamada a intervir primeiro em dois subgrupos, depois em três e finalmente em quatro subgrupos de atuação.

Dois adeptos detidos por agressão a polícias

Pelo menos quatro pessoas foram detidas, no sábado à noite, durante os confrontos entre adeptos ingleses e as autoridades, no Porto. O balanço da operação foi feito no sábado e, segundo o subintendente Marco Almeida, dois adeptos foram detidos por agressões a polícias. Outros dois foram detidos por contrafação de material e equipamento desportivo.

Nos confrontos entre as autoridades e adeptos, um polícia da equipa de intervenção rápida ficou ferido.