País

Catarina Martins critica “promiscuidade entre negócio, política e futebol”

Líder do Bloco de Esquerda diz que caso “Cartão Vermelho” não surpreende.

A líder do Bloco de Esquerda referiu-se esta sexta-feira às detenções de Joe Berardo e de Luís Filipe Vieira para defender o fim dos privilégios nos negócios imobiliários e financeiros. Catarina Martins falava durante a apresentação da candidata bloquista à câmara de Santa Maria da Feira.

“Há tanta gente que parece tão surpreendida, no Bloco de Esquerda não temos nenhuma surpresa porque sempre denunciámos a promiscuidade entre o negócio, a política e o futebol que faz com que tanta gente não tenha querido fazer as perguntas que se empunham”, afirmou.

O caso Cartão Vermelho

Luís Filipe Vieira foi um dos quatro detidos na quarta-feira, numa investigação que envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros, com prejuízos para o Estado e algumas sociedades.

Segundo o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) estão em causa factos suscetíveis de configurar "crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento de capitais".

Para esta investigação foram cumpridos cerca de 45 mandados de busca a sociedades, residências, escritórios de advogados e uma instituição bancária em Lisboa, Torres Vedras e Braga. Um dos locais onde decorreram buscas foi a SAD do Benfica que, em comunicado, adiantou que não foi constituída arguida.