País

Sindicatos da PSP e GNR saem de reunião com o Governo sem garantia

As forças de segurança consideram que o valor de risco justo para os profissionais é 400 euros.

Terminou, sem acordo, a reunião entre os dirigentes sindicais da PSP e da GNR e o Governo. Em cima da mesa esteve a atribuição de um subsídio de risco de 400 euros. Durante o encontro, as forças de segurança estiveram em protesto em frente ao Ministério da Administração Interna.

Depois de duas horas reunidos com o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, os sindicatos da PSP e associações socioprofissionais da GNR saíram sem nenhuma garantia.

Enquanto decorria a reunião, mais de 200 elementos de ambas as forças de segurança juntaram-se em frente ao Ministério da Administração Interna para dizerem ao que vinham: 400 euros é o valor que estes profissionais consideram justo para o exercício da profissão que acarreta riscos diários.

As negociações continuam em stand by até a próxima semana. Dia 28 de julho, as associações e sindicatos voltam a reunir-se com o Governo e haverá também mais um protesto em frente ao Ministério da Administração Interna.

Veja mais:

  • "Quando estou com os avós sinto-me feliz"

    Desafios da Mente

    As investigações apontam que as crianças que têm avós envolvidos na prestação de cuidados podem ter melhores índices de saúde mental, como uma redução do risco de sintomas depressivos e de comportamentos desviantes, bem como melhor desenvolvimento cognitivo. Em Portugal, o Dia dos Avós celebra-se a 26 de julho. A data foi instituída pela Assembleia da República, em 2003.

    Mauro Paulino