País

Eduardo Cabrita diz que não podia ter evitado os festejos do Sporting

Ministro voltou a descartar responsabilidades.

O Ministro da Administração Interna diz que não podia ter evitado os festejos do Sporting que, em maio, resultaram em desacatos com a polícia.

Eduardo Cabrita foi ouvido esta quarta-feira no Parlamento a pedido do PSD que o acusa de descartar responsabilidades.

Menos graves que os festejos do Atlético de Madrid em maio. Menos dramáticos que as celebrações em Itália do europeu de futebol. É esta a conclusão do ministro.

Eduardo Cabrita fez questão de lembrar que ao contrário de outras festas desportivas na Europa, os festejos do Sporting não resultaram em mortes.

O ministro voltou a afirmar que "não compete à PSP" definir o modelo de celebração, mas sim garantir a segurança, sublinhando que a Polícia de Segurança Pública "fez aquilo que era adequado num quadro particularmente difícil".

"A PSP não pode dizer que o 1.º de Maio não é na Alameda, é noutro sítio qualquer, ou que o Avante! não é no Seixal, é noutra localidade qualquer. Não é competência da PSP, mas também não é do Ministério da Administração Interna", frisou.

Veja também: