País

Médicos em protesto dizem estar exaustos

A principal reivindicação passa por evitar carências de recursos humanos no SNS.

Esta quarta-feira celebra-se o Dia do Serviço Nacional de Saúde (SNS), que foi assinalado com protestos em vários hospitais.

Em Coimbra e na Figueira da Foz, houve médicos que aderiram ao protesto para exigir que o Ministério da Saúde se sente à mesa para negociar melhores condições de trabalho.

A principal reivindicação passa por evitar carências de recursos humanos no SNS. Os sindicatos querem uma melhor perspetiva de carreira e o reconhecimento do estatuto de risco da profissão.

Os médicos em exclusividade no Serviço Nacional de Saúde são cada vez menos. Em agosto, eram cerca de quatro mil médicos, uma redução face a 2015, quando eram mais de seis mil.

Veja também:

  • 2:29