País

Conferência Episcopal Portuguesa aprova criação de comissão nacional para investigar abusos sexuais

Conferência Episcopal Portuguesa aprova criação de comissão nacional para investigar abusos sexuais

Comissão será uma espécie de "task-force" para a prevenção dos abusos sexuais de menores no seio da Igreja Católica.

Os bispos católicos portugueses aprovaram por unanimidade, esta quinta-feira, na Assembleia Plenária da Conferência Episcopal, a criação de uma comissão nacional independente para investigar os abusos sexuais de menores cometidos por membros da igreja.

Esta comissão será uma espécie de "task-force" para a prevenção dos abusos sexuais de menores no seio da Igreja Católica, constituída por um conjunto de pessoas leigas e "algumas não católicas. O objetivo será orientar e supervisionar as 21 organizações diocesanas criadas em 2019.

"Reconhecendo o trabalho das comissões diocesanas, constituídas especialmente por leigos qualificados em várias áreas como o Direito, a Psiquiatria e a Psicologia, a Assembleia decidiu criar uma comissão nacional para reforçar e alargar o atendimento dos casos e o respetivo acompanhamento a nível civil e canónico e fazer o estudo em ordem ao apuramento histórico desta grave questão. Nesse sentido, é constituído um ponto de escuta permanente a nível nacional", lê-se no comunicado da Conferência Episcopal Portuguesa.

Em conferência de imprensa, D. José Ornelas, bispo de Setúbal e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, disse que os bispos não receiam a investigação sobre abusos sexuais na Igreja.

“Temos muita pena e custa-nos muito tratar estas coisas [abusos sexuais], como qualquer família que tratasse de um problema destes, mas não temos medo e temos todo o interesse em esclarecer tudo isto”, afirmou José Ornelas na conferência, após o encerramento da Assembleia Plenária".

D. José Ornelas afirmou também que os bispos querem que esta comissão questione "quer a Igreja, quer a sociedade com os verdadeiros temas (...) e também de dar contas para que se tenha a dimensão clara desta situação".

A 201.ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa decorria desde segunda-feira, em Fátima.

Mais de 200 católicos assinam carta a exigir investigação independente aos abusos sexuais na Igreja

No dia em que começou a Assembleia Plenária da CEP, foi enviada uma carta assinada por mais de 200 católicos a D. José Ornelas a pedir que fosse feita uma investigação independente aos abusos sexuais na Igreja.

A carta assinada por mais de duas centenas de católicos portugueses pedia o lançamento de uma investigação nacional independente sobre os crimes de abusos sexuais cometidos nos últimos 50 anos.

"Apelamos veementemente à CEP que se alinhe com as orientações do Papa Francisco e tome, com caráter de urgência, a decisão de lançar uma investigação nacional rigorosa, abrangente e verdadeiramente independente, com o arco temporal de 50 anos."

Os subscritores manifestavam o ceticismo que sentem em relação ao baixo número de abusos reportados em Portugal - cerca de uma dezena ao longo da última década - e dizem que não têm conhecimento de razões sociológicas que permitam que a experiência na Igreja portuguesa tenha sido diferente da de outros países.

No mesmo dia em que esta carta foi enviada, o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa prometeu que a Igreja tudo faria para apurar a verdade histórica dos abusos sexuais no seio da instituição.

Veja também:

Últimas Notícias
Mais Vistos