País

DECO defende a criação de um fundo de catástrofe

DECO defende a criação de um fundo de catástrofe
ANTONIO COTRIM

Pode ajudar cidadãos prejudicados pelos incêndios.

A DECO emitiu ao Governo e aos Grupos parlamentares uma carta, na qual exige a criação de um fundo de catástrofe. Os recentes incêndios são prova de que a população necessita deste fundo em caso de prejuízo na ocorrência de fenómenos climáticos extremos, como é o caso de incêndios.

A jurista da DECO, Tânia Santana, indica que todos têm direito a um clima com qualidade e fala em "questão de justiça ambiental".

Para além deste fundo, a associação considera fundamental que o Estado imponha às seguradoras a cobertura destes riscos, no âmbito de contratos de seguro obrigatórios ou facultativos, mas de forma disseminada.

Para fundamentar a criação deste fundo, a DECO faz alusão à Lei de Bases do Clima, que obriga o Governo a adotar medidas que visam proteger pessoas e bens em casos de alterações climáticas.

Os consumidores mais vulneráveis a estes desastres são da zona Centro. Exemplo disso, indica a DECO num comunicado, são os pedidos de ajuda que chegam, de consumidores que revelam dificuldades de acionamento de seguros para cobrir as perdas dos bens ou que não têm capacidade financeira para os subscrever.

Últimas Notícias
Mais Vistos