País

Falta de professores: regiões de Lisboa e Algarve são as zonas mais afetadas

Falta de professores: regiões de Lisboa e Algarve são as zonas mais afetadas
skynesher
As faltas de condições atrativas é apontada por muitos docentes como a principal falha do Governo para com a classe.

As zonas do país mais afetadas pela falta de professores nas escolas públicas são o Algarve, Alentejo e a área da Grande Lisboa. As disciplinas ligadas às TIC, português e matemática são as que apresentam a maior falta de professores.

O Sindicato de professores diz que na área de recrutamento de Lisboa há 359 horários por preencher, o que faz com que haja em média cerca de 25 mil alunos sem pelo menos aulas a uma disciplina nesta primeira semana de aulas.

O agrupamento de escolas Doutor Azevedo Neves, na cidade da Amadora, tem nove horários por preencher.

A região do Algarve contabiliza cerca de 8.500 alunos na região ainda sem aulas em pelo menos uma disciplina. O diretores dos agrupamentos queixam-se de não conseguirem atrair docentes devido ao aumento do custo de vida e à falta de alojamento.

O Sindicato dos professores indica que estão em falta 180 professores na região.

Apesar da situação vivida, nem tudo é negativo. Segundo o representante da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, já se verificam progressos, tais como o facto das escolas já poderem substituir professores que apresentam atestados médicos inferiores a um mês.

O Sindicato dos professores indica que estão em falta 180 professores na região.

Apesar da situação vivida, nem tudo é negativo. Segundo o representante da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, já se verificam progressos, tais como o facto das escolas já poderem substituir professores que apresentam atestados médicos inferiores a um mês.

Últimas Notícias
Mais Vistos