País

Hackers partilham dados pessoais de 1,5 milhões de clientes da TAP

Hackers partilham dados pessoais de 1,5 milhões de clientes da TAP
Horacio Villalobos
Os piratas do grupo Ragnar Locker dizem que continuam a ter acesso aos sistemas informáticos da Transportadora Aérea Portuguesa.

O grupo de hackers Ragnar Locker, responsável pelo ataque informático à TAP no final do mês passado, publicou dados pessoais de 1,5 milhões de clientes da companhia aérea. Esta segunda-feira, foi divulgado na Dark Web um documento com 581 gigabytes de informação. De acordo com o jornal Expresso, a TAP não terá cedido à chantagem do grupo de piratas, que dizem que continuam a ter acesso aos sistemas informáticos da companhia aérea.

Os dados divulgados esta segunda-feira pelo grupo Ragnar Locker incluem nomes, moradas, números de telemóvel de clientes, e ainda acordos confidenciais, cartões de identidade de profissionais e informação sobre incidentes durante as operações.

De acordo com o Expresso, a empresa apenas diz que "a intrusão foi contida numa fase inicial, antes de provocar danos nos processos operacionais. As operações da TAP estão a decorrer com normalidade”.

Os piratas informáticos já tinham publicado dados de 115 mil clientes, há mais de uma semana, e ameaçaram com uma fuga de informação maior, caso o resgate não fosse pago. O Expresso avança que a transportadora aérea portuguesa não terá cedido à chantagem do grupo Ragnar Locker.

O grupo de cibercrime que reivindicou o ataque à TAP é o mesmo que realizou um ciberataque à EDP há cerca de dois anos e meio e, na altura, o Ragnar Locker pediu um resgate de 10 milhões de euros à empresa que sempre negou qualquer pagamento.


Com recurso a aplicações maliciosas, designadas por ransomware, o grupo começa por infetar os sistemas informáticos, encripta e sequestra os dados das vítimas. Posteriormente procura cobrar resgates, geralmente em criptomoedas, de modo a que seja mais difícil serem detetados.

Últimas Notícias
Mais Vistos