País

"Novos factos" levam Chega a pedir demissão da ministra Ana Abrunhosa

"Novos factos" levam Chega a pedir demissão da ministra Ana Abrunhosa
SOPA Images/Getty Images

André Ventura defende que a continuidade da ministra vai provocar "menos credibilidade e menos ética dentro do Governo".

O Chega pediu esta sexta-feira a demissão da ministra da Coesão Territorial por considerar que esta "não tem condições de continuar" no cargo, após "novos factos" que "aumentam a nebulosidade" sobre a atribuição de fundos a empresas do marido de Ana Abrunhosa.

Num vídeo divulgado aos jornalistas, o presidente do Chega indicou que tomou conhecimento esta sexta-feira "de novos factos relativos à senhora ministra da Coesão Territorial", onde o marido, além de receber fundos de uma área tutelada por Ana Abrunhosa, esteve também "associado, para a obtenção desses fundos, a um condenado por corrupção num conhecido processo judicial português".

"Já tínhamos dúvidas legais, já tínhamos certezas éticas, agora o Chega tem também certezas políticas. A senhora ministra da Coesão não tem condições de continuar a ser ministra", defendeu André Ventura no vídeo partilhado.

O líder do partido diz que a continuidade de Ana Abrunhosa no Governo vai provocar "apenas mais desgaste, menos credibilidade para as instituições e menos ética dentro do Governo".

O Expresso publicou esta sexta-feira que o marido da ministra era sócio, numa das empresas que recebeu fundos comunitários, de um empresário condenado por corrupção ativa no processo dos Vistos Gold. André Ventura deixa claro que tais factos "aumentam a nebulosidade do contexto em que esses fundos foram obtidos e reforçam o caráter antiético dos procedimentos em causa".

Últimas Notícias
Mais Vistos