Grande Reportagem SIC

Fórmula Proibida

Milhares de portuguesas estão a tomar comprimidos "milagrosos" para emagrecer sem saberem que estão a consumir droga. As cápsulas chegam invariavelmente do Brasil e são, normalmente, vendidas em Portugal por brasileiras.

Os comprimidos, também chamados de "Fórmulas", são vendidos em muitos casos como produtos naturais quando na realidade contêm Fenproporex. O Fenproporex é um derivado de anfetamina.



A Grande Reportagem desta semana entrevistou várias mulheres que experimentaram os comprimidos com resultados e efeitos secundários diversos.



Audrei Silva é um desses casos. Pesa 90 kgs. Há 10 anos, no Brasil, decidiu emagrecer. Como nada resultava, recorreu a uns comprimidos que prometiam fazer o milagre. Mas sentiu-se tão mal que teve de parar o tratamento. Há 2 anos, como surgiu um problema de tiróide e engordou ainda mais, decidiu voltar a tentar as anfetaminas. Pediu a uma amiga para trazer uma fórmula do Brasil. Passou por tudo outra vez. O médico concluiu que, se ela tivesse problemas cardíacos, podia ter morrido.



Os comprimidos ditos "milagrosos" resultam. Quem os toma pode perder mais de 10 kgs por mês, mas o corpo paga e paga bem. O fenproporex é uma droga proibida na Europa há muitos anos. Os danos causados à saúde são tão graves que, em Portugal, já nem com receita médica é possível comprar anfetaminas. Mas no Brasil não é bem assim. O Brasil é o principal produtor mundial de anfetaminas e também o maior consumidor. Lá, as anfetaminas são vendidas como inibidores de apetite, mas apenas com receita médica. Mas a corrupção e o desejo de lucro fácil contornam todos os mecanismos de segurança.



É um novo tipo de tráfico de droga. A primeira apreensão em Portugal de comprimidos para emagrecer com anfetaminas foi registada em Novembro de 2007(97.500 cápsulas). Em Fevereiro de 2008, a Polícia Judiciária deteve uma brasileira no aeroporto de Lisboa com duas malas de viagem com 110.500 comprimidos. Tinham como destino clínicas de emagrecimento, lojas de produtos naturais e ginásios no Algarve. A PJ mandou analisar os comprimidos. Continham fenproporex.



A PJ considera que estamos perante um problema de saúde pública. Milhares de homens e mulheres de 30, 40 e 50 anos estão a drogar-se sem terem consciência disso. Alguns efeitos são temporários, mas em alguns casos, tomar estas fórmulas mágicas pode ser fatal. Embora não pareça grave vender comprimidos que servem para emagrecer, perante a lei trata-se de tráfico de droga, um crime punível em Portugal com pena de prisão. Mas pelos vistos, há muitas pessoas dispostas a correr o risco. Os lucros atingem os 80%, mais do que a venda de cocaína. No Brasil, uma dose mensal destes comprimidos ditos milagrosos custa cerca de 10 euros. Cá chegam a ser vendidos por 180 euros.



Se fenproporex não lhe diz nada, há talvez outro nome que ajuda a compreender de que droga estamos a falar. O famoso ecstasy consumido sobretudo por jovens nas discotecas é da mesma família das anfetaminas. Os efeitos e as consequências são semelhantes. As anfetaminas começaram a ser usadas nos anos 30. Cedo se verificou que eram muito eficazes na supressão do apetite. Durante a segunda guerra mundial, eram distribuídas aos soldados para os manter acordados e satisfeitos. Uma estratégia que criou cerca de 500 mil viciados em anfetaminas no Japão.



Raquel é outro caso. Desde pequena que não gostava do corpo. Começou com as dietas por volta dos 15 anos. Experimentou tudo mas sem grandes resultados. Recentemente descobriu os tais comprimidos brasileiros. Eram caros. 120 euros por mês. Mas perdia peso. Em quatro meses perdeu 15 kgs. A amiga, sempre que ia ao Brasil trazia comprimidos que depois vendia a várias pessoas. Eram receitados por um médico, por isso nunca desconfiou que fosse droga. A dieta das fórmulas mágicas é muito simples. Não come porque não tem fome. E ainda por cima anda satisfeita e cheia de energia. Os sintomas eram estranhos mas o desejo de ser magra era mais forte.



Joana Freitas tem um salão de beleza no centro de Lisboa. Uma cliente foi ao brasil e trouxe a tal fórmula milagrosa. Num mês emagreceu 24 kgs.



O contacto espalhou-se pelas clientes. Os comprimidos começaram a chegar regularmente do Brasil. Passadas algumas semanas os problemas de saúde começaram. Uma das clientes chegou a passar 7 dias sem dormir, sempre cheia de energia.



Ao não comer, o corpo começa a alimentar-se das suas próprias gorduras, mas também do músculo e outros tecidos e dos próprios ossos.



Algumas das consequências a médio longo prazo são, já não falando dos problemas cardíacos, a perda de cabelo e até podem cair os dentes.



Centenas, talvez milhares de portuguesas tomam uma das muitas fórmulas mágicas. E com a aproximação do Verão, a procura vai aumentar.



Basta ir à internet para as encontrar. Em poucos minutos, num fórum português a SIC encontrou não só um e-mail onde podemos fazer encomendas, como um número de telemóvel. A fórmula para perder 8 kgs num mês custa 90 euros e entrega a casa, se for em Lisboa.



Em quase todos os cabeleireiros há alguém que conhece quem compra ou vende os comprimidos brasileiros para emagrecer.



Quem os toma, perde peso, mas corre sérios riscos de saúde e de dependência.



Pedro Andersson

Jornalista




Jornalista: Pedro Andersson

Imagem: Odácir Júnior

Edição: João Santos

Produção: Isabel Mendonça; Ana Martins

Coordenação: Cândida Pinto

Direcção: Alcides Vieira