Cultura

Família de Sara Carreira lembra que funeral é restrito e pede respeito pela decisão

As cerimónias fúnebres começam esta terça-feira e estendem-se até quarta-feira.

A família da cantora Sara Carreira, que morreu no sábado, num acidente de viação, informou hoje que as cerimónias fúnebres são restritas à família e amigos, apelando à compreensão e respeito de todos por esta decisão.


"Pedimos a todos, sobretudo à comunicação social, que compreendam e respeitem a nossa decisão de realizar a despedida da nossa Sara na intimidade e reserva que necessitamos, não sendo assim as cerimónias abertas ao público, que tanto respeitamos e tanto carinho nos têm demonstrado", afirma a família num comunicado enviado à agência Lusa.


A família Carreira começa por sublinhar e agradecer "do fundo do coração" o amor e a saudade "que enchem as mensagens" que lhes têm chegado, mas pede respeito e reserva no velório e funeral da cantora e filha mais nova de Tony Carreira.


As cerimónias fúnebres da jovem, irmã dos também músicos Mickael e David Carreira, começam hoje com o velório e estendem-se até quarta-feira, dia em que deverá ter lugar o funeral.


A artista de 21 anos morreu no sábado ao fim da tarde, vítima de um acidente de viação, que envolveu quatro veículos ligeiros na Autoestrada (A1), entre os nós de Santarém e do Cartaxo.


O acidente causou a morte da jovem de 21 anos, cujo óbito foi declarado no local, e três feridos, um dos quais o namorado de Sara Carreira, o cantor e ator Ivo Lucas, com alguma gravidade.


Um dos carros envolvidos no acidente, veio a saber-se mais tarde, transportava a fadista Cristina Branco e a sua filha.