Cultura

"Não fui quem quero ser": a primeira entrevista a Will Smith após polémico estalo que correu mundo

"Não fui quem quero ser": a primeira entrevista a Will Smith após polémico estalo que correu mundo
Phil Mccarten/AP

Oito meses após a cerimónia dos Óscares que ficou marcada pelo estalo que deu a Chris Rock, Will Smith falou pela primeira vez em público, e abertamente, sobre o incidente.

Com o regresso ao grande ecrã com “Emancipation”, o ator, de 54 anos, falou pela primeira vez em público sobre o incidente que marcou a cerimónia dos Óscares. Em entrevista a Trevor Noah, no programa "The Daily Show", Will Smith admitiu que errou e que “foi uma noite horrível”. Por isso, promete dar “tempo” e “respeitar” quem não queira ver o seu novo filme.

Loading...

Oito meses depois, a 94.º cerimónia dos Óscares volta a ser tema. Em março deste ano, Will Smith subiu ao palco e deu um estalo a Chris Rock, em resposta a uma piada que o humorista fez sobre a doença de que padece a mulher do ator, Jada Pinkett Smith.

Na mesma noite, Smith viria a conquistar o Óscar de Melhor Ator pela atuação no filme “King Richard” e dias depois pediu desculpas à Academia. Ainda assim, acabou por demitir-se da Academia e a ser banido de todos os eventos nos próximos dez anos.

Na conversa com Trevor Noah, Smith recorda uma história de infância que, disse, pode ter contribuído para a sua “explosão” naquela noite. "Era muita coisa, era o garotinho que via o pai bater na mãe. Tudo isso veio à tona naquele momento, mas não fui quem quero ser…”.

“E não és. Todos nós em algum momento cometemos um erro”, disse Noah. Visivelmente emocionado e de lágrimas no rosto, Smith recompôs-se e reconheceu que “foi uma noite horrível”.

“Há muitas nuances e complexidades por detrás do que fiz. Mas no final do dia, perdi. A verdade é que nunca sabemos aquilo pelo que os outros estão a passar. Alguém sabe o que eu estava a passar naquela noite? Não que isso justifique o meu comportamento, mas foi uma raiva que estava fechada há muito tempo [e que saiu]", disse Smith.

“Entendo que tenha sido chocante para muitas pessoas. Eu ter-me-ia ido embora", afirmou.

Com o regresso com “Emancipation”, o realizador Antoine Fuqua admitiu que as dificuldades emocionais e físicas sofridas por Smith durante as filmagens no Louisiana podem não ter ajudado ao seu estado de espírito. Recorde-se que as gravações terminaram em janeiro deste ano, ou seja, antes da cerimónia dos Óscares.

Mas a ideia de que a produção do filme seja afetada pelas suas ações e que possa não ter o reconhecimento merecido é algo que perturba Smith. Ainda assim, disse o ator, “entendo perfeitamente se alguém não estiver pronto [para ver o filme], respeitarei e darei todo o espaço para que, eventualmente, essa pessoa esteja pronta [para voltar a ver filmes meus]".

Baseado numa história verídica, em “Emancipation” Will Smith interpreta o papel de um escravo chamado Peter, que escapa de uma plantação no Louisiana. A estreia está marcada para o próximo dia 9 de dezembro, na Apple TV+.

Últimas Notícias