Desporto

Portugal favorito frente à "renascida" Holanda

Susana Vera

A equipa das quinas vai disputar a terceira final numa competição europeia, depois dos europeus de 2004 e 2016.

Portugal, atual campeão europeu, vai no domingo subir ao relvado do Estádio do Dragão, no Porto, como favorito na final da Liga das Nações de futebol, perante uma Holanda 'cansada' e em reconstrução.

Depois do triunfo por 3-1 na primeira meia-final sobre a Suíça, na quarta-feira, a seleção portuguesa parece ter tudo, em teoria, para levantar o primeiro troféu da Liga das Nações, apesar de ter uma baixa de peso.

Pepe saiu lesionado do confronto com os helvéticos, numa altura em que estava a ser um dos melhores em campo, e vai falhar a final, mas, mesmo assim, Portugal está 'obrigado' a vestir o papel de favorito.

Além de ter o estatuto de campeão europeu, e de ter a vantagem de jogar em casa, Portugal chega à final com Cristiano Ronaldo em grande forma, após o 'hat-trick' apontado frente aos suíços, e fisicamente mais 'fresco'.

A seleção lusa teve mais um dia de descanso e a Holanda foi obrigada a disputar o prolongamento para conseguir eliminar a Inglaterra (3-1), na outra meia-final.

Com Pepe ausente, José Fonte deverá fazer dupla com Ruben Dias no centro da defesa, naquela que poderá ser a única alteração de Fernando Santos no 'onze' inicial.

O selecionador nacional deverá manter João Félix como companheiro de Ronaldo na frente, embora o avançado do Benfica tenha estado apagado frente aos helvéticos, naquela que foi a sua estreia absoluta como internacional 'AA'.

Na defesa, Nélson Semedo ganhou o duelo a João Cancelo no primeiro jogo, mas tem sempre a 'sombra' do jogador da Juventus, enquanto no meio-campo, Danilo, que esteve castigado, e João Moutinho podem sempre entrar nas contas de Fernando Santos.

Por seu lado, a Holanda está a demonstrar na Liga das Nações que superou a 'crise' e está de regresso aos grandes palcos, após ter falhado as fases finais de Euro2016 e Mundial2018.

Depois de ter eliminado na fase de grupos Alemanha e França, os dois últimos campeões mundiais, os holandeses, comandados pelo técnico Ronald Koeman, que em tempos treinou o Benfica, ultrapassaram em Guimarães a Inglaterra, com justiça, embora tenham necessitado do prolongamento.

Os ingleses ainda se adiantaram no marcador aos 32 minutos, através de Marcus Rashford, na conversão de uma grande penalidade, mas a Holanda igualou e levou o encontro para prolongamento, com um golo de Matthijs de Ligt, aos 73.

Kyle Walker, aos 97, na própria baliza, e Quincy Promes, aos 114, anotaram os golos que deram o triunfo à 'laranja mecânica'.

A Holanda aparece na final da Liga das Nações numa fase em que tenta aproveitar os mais recentes sucessos da escola do Ajax, como Matthijs de Ligt, Frenkie de Jong e Donny van de Beek, e em que tem dois campeões europeus de clubes pelo Liverpool, o central Virgil van Dijk, promovido a capitão da 'laranja mecânica' e o médio Georginio Wijnaldum.

Portugal tem um registo quase imbatível frente à holanda

Portugal sofreu uma pesada derrota na última vez que encontrou a Holanda, num particular de preparação para o Mundial de futebol de 2018, mas tem um registo quase imbatível, e de boas recordações, em jogos oficiais.

Cristiano Ronaldo a festejar a conquista do primeiro lugar do grubo B, durante a fase de qualificação para o Euro 2012, depois de uma vitória frente à seleção da Holanda.

Cristiano Ronaldo a festejar a conquista do primeiro lugar do grubo B, durante a fase de qualificação para o Euro 2012, depois de uma vitória frente à seleção da Holanda.

Yves Herman

Em março de 2018, em Genebra, na Suíça, quando estava ainda a preparar a participação no Campeonato do Mundo da Rússia, a seleção lusa foi derrotada por 3-0, com golos Depay, Babel e Van Dijk, jogadores que deverão no domingo marcar presença no Estádio do Dragão, na final da Liga das Nações.

Ao todo, Portugal venceu sete de 13 embates, empatou quatro e perdeu dois, mas sobressaiu sempre vitorioso nos três jogos, dramáticos, em fases finais de grandes competições internacionais.

Foi assim no Euro2004, em Alvalade (2-1), no Mundial2006 (1-0), no desafio mais 'indisciplinado' da história da competição, com quatro expulsões, duas para cada lado, e no Euro2012 (2-1).

As duas seleções voltam a encontrar-se no próximo domingo, na final da primeira edição da Liga das Nações, às 19:45, no Estádio do Dragão, no Porto.

Com Lusa.

  • O que houve de melhor no SBSR
    11:16
  • Descobrir as rotas do Alentejo
    14:59