Economia

Ainda há centenas de bombas sem combustível

Governo e gasolineiras avisam que a normalidade só vai ser resposta no prazo de 5 dias.


Um dia depois do final da greve, ainda há por todo o país centenas de bombas sem combustível. A situação deve levar cinco dias a normalizar.


Por todo o país persistem as falhas no abastecimento de combustível. Há centenas de bombas ainda sem gasolina e gasóleo, numa altura em que a corrida aos postos terminou.

Governo e gasolineiras já tinham avisado que a normalidade só vai ser resposta no prazo de 5 dias.

Com o fim da greve dos motoristas de materiais perigosas, as bombas já começaram a ser reabastecidas no arranque deste fim de semana da Páscoa.

O presidente da Associação Nacional dos Revendedores de Combustíveis (Anarec), Francisco Albuquerque, garantiu hoje, em declarações à agência Lusa, que a reposição dos stocks está a decorrer "a bom ritmo", não havendo já registo de filas para abastecer.

Contudo, às 11h00, o repórter André Palma dava conta de um posto de combustível ainda fechado no Restelo, em Lisboa. Situação que se repete noutros pontos do país.

A greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas terminou esta quinta-feira de manhã, com o anúncio por parte do Governo de que as partes envolvidas chegaram a acordo.

A greve dos motoristas de transporte de combustíveis começou às 00:00 de segunda-feira e foi convocada pelo Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

  • Do dia da criança ao turismo de natureza no Alentejo
    6:14
  • “Vamos a Jogo” acompanhou Luís Filipe Vieira no dia da reconquista
    15:21