Economia

Ocupação hoteleira em julho no Algarve com quebra de 60% face a 2019

Catarina Demony

Ausência de britânicos foi o que mais contribuiu para a descida.

A ocupação hoteleira em julho no Algarve registou uma quebra de 60,2% face ao mesmo mês do ano passado, tendo sido registada uma ocupação global média por quarto de 33,2%, indicou hoje uma associação do setor.

Em comunicado, a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) refere que o mercado britânico foi o que mais contribuiu para a descida, tendo sido registada uma quebra de 91,1%.

A seguir ao mercado britânico, o principal mercado emissor de turistas para a região, as maiores descidas verificaram-se nos mercados irlandês, alemão e holandês.

Por seu turno, o mercado nacional foi o que apresentou a menor descida, (menos 8,3%), tendo representado 61,1% do total das dormidas em julho na região.

Segundo estima a AHETA, cerca de 22% das camas classificadas permaneceram encerradas, "pelo que a percentagem de empreendimentos que ainda não reabriram é bastante superior".

O volume de vendas apresentou uma descida face ao mesmo mês do ano anterior de 66%.Em valores acumulados, a ocupação por cama regista uma descida média de 62,9% desde janeiro e o volume de vendas uma quebra de 61,8%, conclui.

Portugal com 1.740 mortes e 51.848 casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1.740 mortes e 51.848 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1.739 para 1.740, mais 1 do que ontem. Já o número de infetados aumentou de 51.681 para 51.848, mais 167 doentes.

Há 384 doentes internados, 41 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

O número de casos recuperados subiu de 37.318 para 37.565, mais 247.

Covid-19 já matou mais de 701 mil pessoas e infetou mais de 18,5 milhões

A pandemia de covid-19 já matou pelo menos 701.112 pessoas e infetou 18.572.720 em todo o mundo desde que o vírus foi detetado na China, em dezembro, refere o último balanço feito pela Agência France-Presse (AFP) com base em dados oficiais.

Pelo menos 10.917.200 doentes já foram considerados curados.

Países mais atingidos

  • Estados Unidos com 156.830 mortes e 4.771.846 casos
  • Brasil, com 95.819 mortos e 2.801.921 casos
  • México, com 48.869 mortos e 449.961 casos de infeção
  • Reino Unido, com 46.299 mortos e 306.293 casos
  • Índia, com 39.795 óbitos e 1.908.254 casos de infeção
  • China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabiliza oficialmente um total de 84.491 casos (27 novos nas últimas 24 horas), incluindo 4.634 mortes e 79.047 recuperados.

A Europa totalizava, às 12:00 de hoje, 211.603 mortes e 3.256.677 casos, enquanto a América Latina e as Caraíbas registavam 206.713 óbitos (5.120.531 casos).

Os Estados Unidos e o Canadá contabilizavam 165.818 mortes (4.889.179 casos) e na Ásia somavam-se 66.979 óbitos (3.113.070 casos).

O Médio Oriente contabilizava 28.637 mortes (1.192.975 casos), África 21.083 óbitos (979.057 casos) e Oceânia 279 mortes (21.239 casos).