Economia

Vendas de imóveis do Novo Banco. Rui Rio fala em negócios "gravíssimos"

Pedro Nunes

Líder do PSD indigna-se com mais uma venda de imóvel abaixo do preço avaliado.

O líder do PSD voltou esta segunda-feira a questionar as vendas dos fundos imobiliários do Novo Banco. No Twitter, Rui Rio afirma que os negócios são gravíssimos e que fazem pouco dos portugueses.

"Entre outras vendas, temos uma sociedade adquirida em 2012 por 11,9 M€, que é avaliada por 5 M€ em 2018 e vendida em 2019 por 0,5 M€. Isto será mesmo assim? Se tudo isto se confirmar, é gravíssimo. Será fazer pouco dos portugueses de forma demasiado despudorada.", escreveu o social-democrata.

Rui Rio reagiu a uma notícia inicialmente avançada pelo jornal Observador no domingo que dá conta de uma sociedade vendida por meio milhão de euros em 2019, que tinha sido avaliada em 5 milhões um ano depois.

A sociedade em causa é a Quinta da Areia, que tinha sido adquirida em 2012 por 11,9 milhões de euros.

A polémica venda de uma SEGURADORA COM DESCONTO DE 70% "COBERTO" PELA AJUDA DO ESTADO

O Novo Banco vendeu em outubro uma seguradora com desconto de quase 70% a fundos geridos pela Apax, operação que gerou uma perda de 268,2 milhões e foi compensada com verba do Fundo de Resolução, noticiou o jornal Público.

Segundo o jornal, o negócio foi fechado com um magnata condenado por corrupção nos Estados Unidos.

A seguradora GNB Vida (agora designada Gama Life), "foi vendida em outubro de 2019, a fundos geridos pela Apax Partners, com um desconto de 68,5% face ao valor contabilístico inscrito no balanço de 30 de junho daquele ano".

A operação "gerou uma perda para a instituição financeira de 268,2 milhões de euros" e serviu para o presidente do Novo Banco, António Ramalho, "justificar novo pedido de injeção de dinheiros públicos", explica hoje o Público.