Economia

Empresários admitem transferir aumento da eletricidade para o consumidor

Eurico Bastos

Eurico Bastos

Repórter de Imagem

A par com a subida do preço do quilowatt, a matéria-prima e os combustíveis vão contribuir para o aumento dos custos de produção.

O aumento do custo da eletricidade, que entra em vigor a 1 de outubro, vai afetar os cidadãos particulares e as empresas. Os empresários estão preocupados com o impacto que esta subida tem nas despesas da indústria, numa altura em que as matérias-primas estão também mais caras. Admitem transferir para o consumidor final o custo da subida da eletricidade.

Numa empresa de Oliveira de Azeméis, já se fazem contas: atualmente a conta da eletricidade para as 36 máquinas que fabricam plástico 24 horas por dia, cinco dias por semana, ronda os 50 a 60 mil euros por mês. A partir de outubro, será mais.

O proprietário do negócio já percebeu que o aumento do custo com a energia vai sair dos cofres da empresa. Por outro lado, numa metalomecânica em Vale de Cambra, o agravamento da conta da luz vai passar diretamente para o consumidor. A perda de competitividade é uma das maiores preocupações para os empresários da região de Aveiro.

► Veja mais: