Economia

Iniciativa Liberal acusa Costa de querer arrecadar votos com críticas à Galp

“Não percebemos como é que é possível descer a este nível de argumentação”.

O Iniciativa Liberal acusa António Costa de querer arrecadar votos para as autárquicas, na sequência das declarações do secretário-geral do PS sobre a Galp.

"Criticar de uma forma absolutamente boçal uma decisão de uma empresa privada só porque isso lhe dá jeito eleitoralmente, contradizendo aquilo que poucos meses antes tinha dito que era uma decisão ambientalmente justificável, acho que é mostrar que em campanha eleitoral para o Partido Socialista e para o primeiro-ministro António Costa vale tudo”, afirma João Cotrim Figueiredo.

“Para nós não vale e não percebemos como é que é possível descer a este nível de argumentação quando se está a tentar captar votos autárquicos”.

GALP FECHOU REFINARIA DE MATOSINHOS A 30 DE ABRIL

A Galp desligou a última unidade de produção da refinaria de Matosinhos em 30 de abril, na sequência da decisão de concentrar as operações em Sines.

A petrolífera justificou a "decisão complexa" de encerramento da refinaria com base numa avaliação do contexto europeu e mundial da refinação, bem como nos desafios de sustentabilidade, a que se juntaram as características das instalações.

O encerramento da refinaria de Matosinhos, em abril, representa perdas de 5% do PIB em Matosinhos e de 1% na Área Metropolitana do Porto, segundo um estudo socioeconómico a que a Lusa teve acesso.

O estudo, encomendado pela Câmara Municipal de Matosinhos à Universidade do Porto para avaliar os impactos socioeconómicos do fecho do complexo petroquímico no concelho, traça um "cenário particularmente grave" para a região Norte e para o país, caso não seja dado qualquer destino àquela instalação industrial.

O Estado é um dos acionistas da Galp, com uma participação de 7%, através da Parpública.

VEJA TAMBÉM: