Economia

Presidente da CIP considera aumento do salário mínimo "irracional" e "absurdo"

António Saraiva afirma que, devido à pandemia, algumas empresas não serão capazes de pagar os 40 euros extra propostos pelo Governo.

O Presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) está contra a proposta do Governo de aumentar o salário mínimo para os 705 euros. Para António Saraiva, este aumento é irracional. As centrais sindicais pedem valores mais elevados.

Tudo indica que, no próximo ano, o salário mínimo suba 40 euros, passando 665 para 705 euros mensais. Valores que não agradam o presidente da CIP.

“Sou contra qualquer aumento irracional. Queremos racionalidade das medidas, por isso não nos obriguem a coisas absurdas”, disse em entrevista à Antena1, sublinhando que algumas empresas "não conseguem" pagar esse valor.

António Saraiva justifica a afirmação com a pandemia e diz que o Governo deveria rever os aumentos do salário mínimo.

Por outro lado, as centrais sindicais propuseram, há dias, valores mais ambiciosos na apresentação das propostas reivindicativas para o próximo ano.

Com as negociações do Orçamento do Estado em cima da mesa, a CIP espera que as empresas não sejam esquecidas e que sejam tomadas medidas concretas.

► Veja mais: