Economia

E o gás de botija? Ficou fora do pacote de apoios

Loading...
Mais de dois milhões de casas em Portugal têm gás engarrafado.

O gás de botija ficou de fora do pacote de apoios apresentado pelo Governo.

Neste momento está apenas em vigor uma medida de agosto, que já tinha sido tomada durante a pandemia, quando o Governo definiu preços máximos para o gás engarrafado.

Em vigor até ao fim de outubro, representa uma poupança de entre três e seis euros por garrafa.

Pedro Silva, da DECO, disse à SIC que esta é uma medida boa, mas que “é necessário mais”.

“Sendo um serviço público essencial, o gás engarrafado, o IVA a 6% é a nossa posição. Deve ser aplicado em todos os serviços públicos essenciais de energia domésticos: eletricidade, gás engarrafado, gás natural e gás canalizado”.

Além da redução do IVA, que chegaria a todos, a DECO pede mais apoios e que estes sejam menos burocráticos.

O Governo está a estudar relançar o programa "Bilha Solidária", que previa a comparticipação de 10 euros por garrafa de gás por mês. Esteve em vigor entre abril e junho deste ano. A ideia era chegar aos mais de 800 mil beneficiários da tarifa social de energia. Contudo, na altura chegou a apenas oito mil famílias por mês.

Quem tem gás natural e está no mercado livre, pode a partir desta quarta-feira mudar para o mercado regulado. Não tem de pagar para mudar, nem tem de fazer uma inspeção ao gás antes da mudança.

No mercado regulado do gás está previsto um aumento de 3,9% em outubro, mas mesmo assim deverá ficar mais barato do que no mercado livre. Deve simular e fazer as contas antes de mudar.

Últimas Notícias
Mais Vistos