Economia

Imagem que portugueses têm da TAP "é dos seus bolsos a perder dinheiro"

Loading...

A opinião é de José Gomes Ferreira, da SIC, que alerta para as semelhanças do "volume" do dossiê TAP com as do Novo Banco.

A TAP anunciou a renovação da frota automóvel de administradores e chefias, mas 24 horas depois fez marcha-atrás e suspendeu a encomenda de 50 carros da marca BMW. O porquê é a dúvida de José Gomes Ferreira, dando razão aos “primeiros críticos: os trabalhadores".

“Ontem seria um bom negócio, apontando para uma poupança de 630 mil euros por ano (…) [Mas] afinal parece que essa poupança não era assim tão verdadeira. Se já não é rentável então porque é que era feita?”, questiona.

Mas há mais perguntas sem resposta. “É anunciada uma poupança, mas em relação a quê à continuação dos contratos atuais ou em relação a uma alternativa. Ninguém percebeu, a fazer fé no que disse a administração da TAP haveria uma poupança de 630 mil euros e agora já não há?”

O que terá, então, feito a empresa recuar? “A imagem pública, obviamente, e continuo a achar que não está explicada a real poupança. Temos uma situação de uma empresa que tinha sido privatizada, tinha parceiros privados, tinha dificuldades é certo mas havia um plano, uma estratégia, (…) depois houve o percurso que se sabe e a pandemia, que provocou um descalabro do qual ninguém é culpado, obviamente”

Mas “todo este percurso é errático” e a imagem que os portugueses têm é "a imagem de bolsos a perderem dinheiro num dossiê que é igual em volume ao da venda do Novo Banco. Neste caso ficou o contribuinte por decisão política deste Governo obrigado a repor a falta de capital comido pela própria exploração, que era altamente deficitária. Agora aparecem a dizer que tem de ser reprivatizada. Nada disto tem uma sequência lógica de boa gestão”

José Gomes Ferreira lembra ainda que está em causa "uma empresa intervencionada e que nos está a custar tanto como o Novo Banco - 3.200 a 3.700 milhões de euros".

“Isto é um novo Novo banco que temos de pagar. E quero perceber se vamos ficar pelos 3.200 milhões de euros, o limite mais baixo da recapitalização ou se vamos ficar pelos 3.700 milhões. Os 500 milhões de euros de diferença dão para construir um grande hospital em Portugal”

Últimas Notícias
Mais Vistos