Afeganistão

Turquia constrói muro para travar refugiados oriundos do Afeganistão

Tem 64 quilómetros e deverá estar pronto até ao final do ano.

A tomada de poder pelos talibãs está a levar à fuga de milhares de pessoas. A Turquia está a construir um muro para travar os que fogem da brutalidade talibã.

A obra tem 64 quilómetros e deverá estar pronta até ao final do ano, tendo sido visitado esta terça-feira pelo ministro da defesa.

Nas últimas semanas, com o avanço talibã, centenas de refugiados atravessaram o Irão e procuraram proteção num país onde não são bem-vindos.

A agência das Nações Unidas para os refugiados, já veio pedir que se suspenda o regresso forçado de cidadãos afegãos, incluindo requerentes de asilo, cujos pedidos tenham sido rejeitados. A agência diz estar profundamente preocupada com a segurança de milhares de afegãos que trabalham em questões de direitos humanos e estão na mira de extremistas islâmicos.

A Áustria, um dos países que mantém a intenção de deportar para o Afeganistão imigrantes ilegais, sugeriu a criação de "centros de deportação" nos países vizinhos, como Paquistão e Irão, onde já estão perto de 1 milhão de refugiados afegãos.

No Paquistão, que nas últimas décadas recebeu quase 1,5 milhões de refugiados afegãos, foi obrigado a encerrar as fronteiras esta segunda-feira.

Depois de ocuparem Cabul, os talibãs passaram a controlar a fronteira do lado afegão.

Na manhã desta terça-feira, as únicas travessias autorizadas entre os dois países eram as de mercadorias.

Perante a crise humanitária, Malala Yousafzai, a jovem ativista paquistanesa que em 2012 sobreviveu a um ataque talibã, no qual foi baleada na cabeça, tem contactado vários líderes mundiais numa tentativa de sensibilização. Distinguida em 2014 com o Nobel da Paz, a jovem paquistanesa lembra que, em momentos como estes, todos os países têm um papel fundamental, assim como responsabilidades.

De acordo com as Nações Unidas, só este ano, a guerra no Afeganistão já fez mais de 400.000 deslocados.

Veja também: