Afeganistão

Daesh-K, a filial afegã do Estado Islâmico responsável pelo ataque junto ao aeroporto de Cabul

Nasceu há cerca de seis anos e já levou a cabo uma série de ataques a mesquitas e hospitais na região.

O Daesh-K, o braço afegão do autoproclamado Estado Islâmico, é feito de dissidentes da Al Qaeda e das fações mais extremistas dos talibã.

Começaram por ser recrutados a partir da Síria, para onde foram lutar vindos de países como o Afeganistão. Desde 2016 que o Daesh-K tem reivindicado ataques contra os talibã e a população afegã em locais como mesquitas ou hospitais.

Esta quinta-feira, reivindicou o ataque junto ao aeroporto de Cabul, no Afeganistão, que fez centenas de mortos e feridos. O último balanço dá conta de pelo menos 110 mortes e 150 feridos.

O Daesh-K já foi alvo de várias ofensivas, entre elas a chamada "mãe de todas as bombas", lançada pelos Estados Unidos contra combatentes do grupo.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas estima que sejam pelo menos 500, mas que possam até ser já milhares os combatentes do Daesh-K.

Veja também:

  • 4:21