Confrontos no Irão

Jovens estudantes iranianas retiram o véu islâmico e desafiam as autoridades

Loading...

Vídeos partilhados nas redes sociais mostram os protestos em várias escolas do país, onde as raparigas chegam até a exibir gestos obscenos em frente à imagem do líder supremo do Irão.

Grupos de raparigas estudantes têm desafiado as autoridades em várias escolas do Irão. Imagens divulgadas nas redes sociais mostram as alunas a infringirem o código sobre o uso de vestuário feminino previsto nas leis da República islâmica, em particular o uso do véu. Há também vídeos onde as jovens vão mais longe e exibem gestos obscenos em frente à imagem de líderes iranianos.

O Irão tem sido abalado por protestos após a morte de Mahsa Amini, de 22 anos, a 16 de setembro, três dias após ter sido detida pela polícia da moralidade por se ter recusado a usar o véu islâmico.

Pelo menos 154 pessoas morreram às mãos das forças de segurança iranianas na sequência de confrontos entre manifestantes e polícia nesta nova vaga de contestação, indicou esta terça-feira a organização não-governamental Human Rights Iran.

As imagens de jovens estudantes a agitaram os véus islâmicos é uma demonstração sem precedentes de apoio aos protestos que se repetem em vários pontos do país e um pouco por todo o mundo.

Em Karaj, a oeste da capital Teerão, um grupo de raparigas forçou um funcionário a sair da escola. Um vídeo partilhado esta segunda-feira mostra as aluna a gritarem "tenham vergonha" e a atirarem garrafas de água ao funcionário.

Vídeos, cuja veracidade foi confirmada pela televisão britânica BBC, mostram manifestações dentro de pátios escolares e nas ruas de várias cidades iranianas.

Em Shiraz, no sul do país, dezenas de estudantes bloquearam o trânsito, esta segunda-feira, numa estrada principal, enquanto agitavam os seus véus islâmicos no ar e gritavam "morte ao ditador" - numa referência ao líder supremo do Irão, ayatollah Ali Khamenei, que tem a palavra final em todos os assuntos de Estado.

Outros protestos de jovens estudantes foram também reportados esta terça-feira em Karak, Teerão e outras cidades a noroeste do país.

Várias alunas foram fotografados de pé nas salas de aula com a cabeça descoberta. Num dos casos, estavam a levantar a mão e exibiam um gesto obsceno em frente ao retrato de ayatollah Khamenei e do fundador da República Islâmica, o ayatollah Ruhollah Khomeini.

TWITTER
Últimas Notícias
Mais Vistos