Coronavírus

Itália decreta estado de emergência para evitar contágios por coronavírus

Passageiros do cruzeiro Costa Esmeralda retirados do navio.

MASSIMO PERCOSSI / EPA

Deverá durar seis meses.

Especial Coronavírus

O Governo italiano decretou hoje o estado de emergência no país para acelerar evitar que o coronavírus se espalhe rapidamente, na sequência da confirmação dos dois primeiros casos em Itália.

"Como noutros países, temos dois casos confirmados do novo coronavírus. São dois turistas chineses que chegaram há alguns dias", informou ontem, quinta-feira, o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, citado pela agência France-Presse.

A Itália é um dos cinco países europeus a confirmar casos da infeção viral, depois de França, Alemanha, Finlândia e hoje o Reino Unido.

O primeiro-ministro anunciou ainda a suspensão de todos os voos provenientes ou com destino à China, apesar da oposição às restrições de voos manifestada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O estado de emergência é muitas vezes decretado em Itália, na sequência de sismos, intempéries ou, mais recentemente, durante as inundações em Veneza. Com esta declaração são ativados mais rapidamente os meios de proteção civil bem como os financiamentos.

"Os doentes estão bem, são jovens e é como se tivessem uma gripe"

Os dois turistas chineses estão em isolamento no hospital Spallanzani, em Roma, especializado em doenças infecto-contagiosas.

"Os doentes estão bem, são jovens e é como se tivessem uma gripe. Não há um tratamento para esta infeção, é tratada como uma gripe, eles vão ficar isolados durante alguns dias", declarou hoje o diretor científico do hospital, Giuseppe Ippolito, em declarações à rádio, citado pela AFP.

Veja também: