Coronavírus

Vídeo de enfermeira grávida a tratar doentes com coronavírus gera polémica

WEIBO / CCTV

Zhao Yu está grávida de nove meses.

Especial Coronavírus

Um vídeo onde é possível ver uma enfermeira grávida de nove meses a tratar pacientes infetados com coronavírus num hospital de Whuan tornou-se polémico na China, e não pelas melhores razões.

O principal objetivo era retratar a enfermeira como uma heroína. Porém, a história divulgada pela estação estatal chinesa, CCTV, mereceu várias críticas por parte dos espectadores. Milhares de chineses acabaram por se manifestar nas redes sociais, porque consideram que o hospital não devia permitir que a profissional de saúde trabalhasse num ambiente altamente contagioso. E - para muitos - este conteúdo não passou de uma "ferramenta de propaganda" do Governo chinês.

Zhao Yu, protagonista do vídeo, aparece a andar pelos corredores do hospital com o equipamento de proteção e a tratar de um paciente que lhe diz que ela não devia trabalhar devido ao perigo de infeção. A própria reconhece que a sua família se opõe, mas afirma que quer fazer a sua parte no combate ao coronavírus.

No entanto, o que podia ser visto como um ato de auto-sacrifício, foi considerado como "propaganda" visto que não deveria ser permitido que mulheres grávidas trabalhassem em tal ambiente.

"Podemos parar com toda esta propaganda? Quem achou que este vídeo estava bom? As mulheres grávidas não deveriam estar na linha da frente", escreveram nas redes sociais.

O coronavírus Covid-19 já infetou mais de 75.000 pessoas a nível mundial e o número de mortos no continente chinês ascende a 2.236, segundo dados anunciados esta sexta-feira.

Veja também: