Coronavírus

Mais 14 infetados com coronavírus em grupo de peregrinos na Grécia

Andrew Kelly

No total, há 45 pessoas infetadas.

Especial Coronavírus

O Ministério da Saúde da Grécia anunciou esta sexta-feira 14 novos casos do novo coronavírus, a maioria pertencente a um grupo de peregrinos que regressou de Israel, elevando o número de infetados para 45 pessoas.

"Hoje temos (...) um total de 14 novos casos com sintomas leves", Sotiris Tsiordas, porta-voz do ministério.

Entre os novos casos, estão 11 membros do grupo que viajou para Israel e Egito no final de fevereiro, somando-se a três casos de pessoas que tiveram contacto com esse grupo, segundo o porta-voz.

Um sexagenário foi o primeiro membro deste grupo de peregrinos a ser identificado como positivo, na quarta-feira à noite.

A contaminação da mulher desse homem e de outras 21 pessoas do grupo foi confirmada na quinta-feira, elevando para 34 o número total de pessoas infetadas na viagem religiosa.

"O estado de saúde deste homem de 66 anos ainda é grave. As outras pessoas apresentam sintomas leves e a situação é estável", disse Sotiris Tsiodras.

O mesmo porta-voz explicou que "a propagação da doença era esperada, já que 34 pessoas infetadas deste grupo partilharam um autocarro durante vários dias", em Israel.

Os peregrinos, maioritariamente do oeste do Peloponeso, fizeram uma viagem à Terra Santa e regressaram de Israel e do Egito em 27 de fevereiro.

O Ministério da Saúde grego não especificou se o grupo tinha permanecido em algum hotel da região de Belém, onde foram identificados vários casos suspeitos.Dois turistas gregos, que pernoitaram nesse hotel no final de fevereiro, descobriram que estavam contaminados.

A Autoridade Palestina proibiu a permanência de turistas na Cisjordânia, por duas semanas, e anunciou o encerramento da basílica da Natividade em Belém.

Na Grécia, o Ministério da Saúde estendeu por duas semanas as medidas excecionais adotadas nos últimos dias, proibindo qualquer reunião pública nas regiões de Acaia e Elis (península do Peloponeso), bem como na ilha jónica de Zaquintos.

A Organização Nacional de Saúde Pública (EODY) anunciou ainda o encerramento de escolas e universidades nessas regiões e "a suspensão de qualquer reunião de elevado número de pessoas".

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou 3.385 mortos e infetou mais de 98 mil pessoas em 87 países e territórios, incluindo 13 em Portugal.

Das pessoas infetadas, mais de 55 mil recuperaram.Além de 3.042 mortos na China, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América e Filipinas, San Marino, Iraque, Suíça, Espanha e Reino Unido.

Veja também: