Coronavírus

Estrangeiros transportados para a Rússia após quarentena na Coreia do Norte

Tim Chong

Grupo de 60 pessoas, que incluía diplomatas e funcionários e organizações internacionais, estava de quarentena há mais de um mês.

Especial Coronavírus

Dezenas de estrangeiros que residem na Coreia do Norte, entre eles diplomatas e funcionários de organizações internacionais, foram hoje transportados num voo fretado para a Rússia, após uma longa quarentena para impedir a propagação do coronavírus.

De acordo com o site Flight Radar, o avião da companhia aérea norte-coreana Air Koryo de Pyongyang pousou no aeroporto de Vladivostok às 10:48 (00:48 em Lisboa).

O avião, que inicialmente estava programado para voar na sexta-feira e cuja partida foi adiada para hoje por razões desconhecidas, terá transportado cerca de 60 pessoas, muitas delas diplomatas e funcionários de organizações internacionais.

O embaixador britânico na Coreia do Norte, Colin Crooks, confirmou numa mensagem na rede social Twitter que todo o pessoal estrangeiro das embaixadas francesa e alemã na capital norte-coreana viajou a bordo deste avião.

O voo da Air Koryo é o primeiro a deixar a Coreia do Norte depois de o país ter decidido fechar as fronteiras no final de janeiro, na sequência do surto do novo coronavírus.

Outra das medidas adotadas, além do encerramento de escolas ou do cancelamento de eventos públicos, foi a ativação de uma quarentena apenas para estrangeiros.

Essa quarentena, que dura há mais de um mês e que terminou a 2 de março, foi alvo de críticas porque impediu representantes da Organização Mundial da Saúde de ter conhecimento da situação no país em relação ao coronavírus.

A Coreia do Norte também mantém milhares de cidadãos em quarentena doméstica e insiste não ter detetado um único caso de coronavírus até o momento.

Especialistas disseram acreditar que a disseminação do vírus no país pode ter consequências significativas devido às deficiências do sistema de saúde norte-coreano.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 3.800 mortos. Cerca de 110 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 62 mil recuperaram.

Veja também: