Coronavírus

Nono aniversário do tsunami de 2011 assinalado discretamente no Japão

JIJI PRESS

Maremoto desencadeou o acidente nuclear em Fukushima.

Especial Coronavírus

O Japão assinalou hoje o nono aniversário do tsunami em 2011, que também desencadeou o acidente nuclear de Fukushima, com a epidemia do novo coronavírus a obrigar à anulação das principais cerimónias públicas.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, prestou homenagem às vítimas da catástrofe na sede do Governo em Tóquio e pediu à população para cumprir um minuto de silêncio às 14:46 (06:46 em Lisboa), hora precisa em que um maremoto de 9 de magnitude atingiu o nordeste do país, há nove anos.

A televisão japonesa mostrou imagens de famílias, recolhidas em silêncio, em vários locais na prefeitura de Miyagi, particularmente atingida pela catástrofe, que causou perto de 18.500 mortos e desaparecidos.

Na semana passada, o Governo japonês anunciou a anulação da grande cerimónia geral realizada todos em Tóquio, com a presença de familiares das vítimas, membros da família imperial, primeiro-ministro, deputados e diplomatas.

"À luz da situação atual, devemos tomar todas as medidas necessárias para prevenir a propagação do vírus no nosso país, assim concluímos que a única solução é anular a cerimónia", de acordo com um comunicado de Abe.

O chefe do Governo renovou ainda a promessa de concluir a reconstrução das zonas atingidas.

A pedido das autoridades, numerosos eventos públicos previstos em todo o país, como concertos, competições desportivas, entregas de diplomas, entre outros, foram cancelados ou adiados, enquanto as escolas foram encerradas para tentar evitar a propagação do novo coronavírus.

De acordo com um último balanço das autoridades, o Japão registou 12 mortos e 568 infetados com o novo coronavírus.
A epidemia de Covid-19, detetada em dezembro na China, já provocou mais de 4.200 mortos.
Cerca de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

  • 21:07