Coronavírus

PCP cancela agenda Jerónimo de Sousa devido ao surto de Covid-19

Tiago Petinga

Iniciativas suspensas até domingo.

Especial Coronavírus

O PCP cancelou a agenda do secretário-geral comunista, Jerónimo de Sousa, de hoje até domingo, que incluía um comício no Porto e um almoço no Seixal, devido ao surto de Covid-19.

Em comunicado, o gabinete de imprensa do PCP informou que, "tendo em conta as circunstâncias" do surto, "as iniciativas agendadas nestes próximos dias com a participação do secretário-geral - Conferência sobre o Desenvolvimento do Alentejo [hoje] , comício no Porto [no sábado] e almoço no Seixal [no domingo] - não se realizarão".

Os comunistas garantem que vão manter a sua "atividade balizada pelas recomendações e orientações emanadas das autoridades de saúde competentes", como a Direção-Geral da Saúde (DGS), e é com base nesse princípio que o partido "decidirá as medidas preventivas adequadas, atendendo a cada momento à situação epidémica e à sua evolução", lê-se no texto.

No comunicado de três parágrafos, antes de anunciar o cancelamento da agenda, o PCP "reafirma a necessidade da implementação de medidas de prevenção adequadas ao surto epidémico com origem no Covid-19" e insiste no apelo à "responsabilidade que justifica igualmente que não se alimente um clima de alarmismo, intranquilidade e medo desproporcionados".

Os comunistas prometem ainda acompanhar "o evoluir da situação e as medidas de prevenção e controlo que no quadro da saúde pública e da resposta clínica dotem o SNS dos recursos indispensáveis".

Portugal com 112 casos confirmados de Covid-19

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

Em Portugal, a DGS subiu hoje o número de infetados para 112, mais 34 do que os contabilizados na quinta-feira, e os casos suspeitos duplicaram para 1.308.

As escolas de todos os graus de ensino vão suspender todas as atividades letivas presenciais a partir de segunda-feira, devido ao surto Covid-19, anunciou quinta-feira o primeiro-ministro, António Costa, numa declaração ao país.

Várias universidades e outras escolas já tinham decidido suspender as atividades letivas.

O governo decidiu também declarar o estado de alerta em todo o país, colocando os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

A restrição de funcionamento de discotecas e similares, a proibição do desembarque de passageiros de navios de cruzeiro, exceto dos residentes em Portugal, a suspensão de visitas a lares em todo o território nacional e o estabelecimento de limitações de frequência nos centros comerciais e supermercados para assegurar possibilidade de manter distância de segurança foram outras das medidas aprovadas.

SIGA AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE O SURTO DE COVID-19

Veja mais:

  • Eurogrupo chega a acordo inédito para enfrentar a pandemia

    Coronavírus

    Ministros das Finanças europeus chegaram a acordo sobre "pacote de dimensões sem precedentes" para fazer face à crise. Nas escolas, está definida a estratégia de funcionamento do 3º período. A Covid-19 causou 1.783 mortes nos EUA, nas últimas 24 horas. Portugal contabiliza 409 mortes e 13.956 infetados. Siga aqui as últimas notícias sobre o novo coronavírus.

    Direto

    SIC Notícias