Coronavírus

Aeroportos da ilhas S. Miguel e Terceira vão receber voos exteriores aos Açores

SATA quer concentrar as ligações ao exterior nestes aeroportos.

Especial Coronavírus

O Governo Regional dos Açores, único acionista do grupo SATA, decidiu concentrar as ligações da companhia aérea com o exterior da região nas ilhas Terceira e São Miguel, devido ao surto de Covid-19.

"O Governo dos Açores determinou hoje que, face à situação de pandemia do Covid-19, os voos da Azores Airlines [do grupo SATA] , provenientes do exterior da região, fiquem concentrados nos aeroportos de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, e das Lajes, ilha Terceira", avançou o executivo açoriano, numa nota de imprensa.

A companhia aérea açoriana fazia também voos entre Lisboa e os aeroportos das ilhas de Santa Maria, Pico e Faial. A medida tem como objetivo "otimizar a capacidade de resposta das autoridades de saúde regionais face à situação da pandemia do Covid-19".

Segundo o Governo Regional, "excetua-se a capacidade de transporte de carga ou outras necessidades de força maior, desde que devidamente autorizadas pela Autoridade de Saúde Regional".

O anúncio surge minutos depois de ter sido divulgada uma carta em que o presidente do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, solicita ao primeiro-ministro, António Costa, "a suspensão urgente das ligações aéreas do exterior, incluindo do território nacional, com os aeroportos dos Açores, com exceção do transporte de carga e casos de força maior, desde que autorizados pela competente Autoridade de Saúde".

"É necessário tomar todas as medidas possíveis, antes do surgimento de qualquer caso positivo na Região, o que ainda não aconteceu até ao momento em que lhe faço esse pedido, de forma a preservar ao máximo possível a capacidade de resposta do Serviço Regional de Saúde dos Açores", sublinhou o presidente do Governo Regional.

A Autoridade de Saúde Regional dos Açores já tinha decidido colocar todos os passageiros de voos exteriores à região em quarentena, a partir de hoje à tarde.

"Todos os passageiros de voos do exterior que aterrem na Região estão, a partir do início da tarde de hoje, obrigados a cumprir um período obrigatório de quarentena de 14 dias, determinado pela Autoridade de Saúde Regional", lê-se no comunicado, divulgado ao início da tarde.